Pastor cita Constituição para explicar porquê se recusou a batizar homossexual O pastor da Igreja Presbiteriana Renovada em Aracaju, Jeter Andrade, gravou um vídeo na segunda-feira (16) para esclarecer os motivos que o levaram a cancelar o batismo do fotógrafo João Pedro Poderoso, que alega ter sofrido homofobia, durante uma celebração religiosa na manhã desse domingo (15).

Jeter disse que a Constituição Federal garante a liberdade de crença religiosa. “Em um dos cursos da nossa igreja chamado ´Primeiros Passos´, onde nós começamos a ensinar verdades básicas sobre a palavra de Deus. Na terceira lição, nós falamos sobre família e sexualidade, o que nós acreditamos de acordo com a palavra de Deus. Todos são muito bem vindos à Família Renovada, mas nós não abrimos mãos dos princípios e valores da palavra de Deus”, afirmou.

João Pedro disse não entender porquê o batismo foi cancelado no último minuto, diante da igreja, se ele participava dos cultos há um ano e todos sabiam que ele é homossexual e casado com outro homem.

Ainda de acordo com Pedro, ele fez um curso preparatório de seis semanas e nunca foi citado que não poderia participar da cerimônia. “Eu fazia parte de uma turma de preparação, e durante todo esse curso eu não fui informado em momento algum que não poderia participar do batismo”.

Através de nota, a Igreja Presbiteriana Renovada de Aracaju (IPRA) informou que um congregado, candidato ao batismo, não estando apto segundo normas internas não pode participar do ato batismal.

A nota diz ainda que a comunicação feita ao mesmo a respeito da impossibilidade de seu batismo se deu de modo reservado, em espaço privativo, na secretaria da igreja, sem publicitação do mesmo, ou mesmo das razões do impedimento, com vistas a evitar qualquer tipo de constrangimento.

O fotógrafo acionou um advogado para cuidar do caso e registrou um Boletim de Ocorrência no Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV).