Filho de Chacrinha processa presidente do União Brasil por uso indevido de imagem Fenômeno da comunicação brasileira nos anos 1980, o apresentador Chacrinha, mesmo morto, continua sendo lembrado. Mas recentemente o uso de sua imagem virou motivo de briga judicial. Leleco Barbosa, filho do Chacrinha, notificou extrajudicialmente o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, por uso não autorizado da imagem do seu pai num dos comerciais do partido, apresentados em abril.

Num filmete de 30 segundos sobre quantidade de impostos e tributos que o contribuinte paga, o locutor diz que "vale a máxima do Chacrinha". Em seguida, aparece a imagem do apresentador falando um de seus bordões mais populares:

“Eu estou aqui para confundir, eu não estou aqui para explicar.”

Há duas semanas, Sylvio Guerra, advogado de Leleco, deu 72 horas para que Bivar explicasse a utilização do vídeo sem autorização. Sem obter resposta, ele deu entrada em uma ação na 4ª Vara Empresarial do Rio por uso indevido de imagem e por violação da marca “Chacrinha”.

Além de pedir a condenação de Bivar ao pagamento de danos materiais, acrescidos de juros e correção monetária, Leleco exige indenização de R$ 20 por danos morais. Como ele é filiado ao PB, ter a imagem do seu pai associada ao União Brasil tem lhe causado um grande transtorno.

Leleco quer que fique claro para o público que ele não apoia a candidatura de Bivar, tampouco o União Brasil.