Atirador que matou 10 pessoas em supermercado de Nova York transmitiu crime ao vivo pela internet

Trabalhadores e clientes descreveram o caos e a carnificina no supermercado Tops em Buffalo, Nova York, nos EUA, quando um jovem de 18 anos abriu fogo na loja no que as autoridades chamaram de um tiroteio em massa com motivação racial no sábado (14), que deixou 10 pessoas mortas e outras três feridas.

O tiroteio fez com que as pessoas que estavam na loja fugissem para salvar suas vidas buscando a saída mais próxima, ou se escondendo em refrigeradores. Vários amigos e familiares de quem esteve na loja aguardam notícias de seus entes queridos horas depois.

As autoridades disseram que 11 dos baleados eram negros e dois eram brancos. Uma das vítimas é um policial aposentado de Buffalo.

Segundo testemunhas, pelo menos 70 tiros foram disparados num momento em que o supermercado estava lotado de pessoas enchendo seus carrinhos de compras.

O atirador foi identificado como Payton Gendron, de Conklin, Nova York, que fica a mais de três horas de distância de Buffalo.

O tiroteio em massa – que é o maior até agora este ano nos Estados Unidos – está sendo investigado “como um crime de ódio e um caso de extremismo violento por motivos raciais ”, disse Stephen Belongia, o agente especial encarregado de disse o escritório de campo do FBI em Buffalo durante uma coletiva de imprensa.

Autoridades disseram que Gendron chegou ao supermercado fortemente armado e usando equipamento tático. No estacionamento, ele matou três pessoas e feriu uma quarta.

Um segurança e ex-policial de Buffalo tentou detê-lo e atirou em Gendron, mas a bala não perfurou sua armadura. Gendron atirou e matou o guarda e continuou sua fúria mortal dentro da loja.

Gendron também levou uma câmera e transmitiu ao vivo o massacre através do Twitch, confirmou a plataforma de streaming. A transmissão foi removida do site dois minutos após o início do tiroteio, disse um porta-voz.

Biden ora pelas vítimas

O presidente dos EUA, Joe Biden, no final do sábado chamou o tiroteio de Buffalo de "sem sentido" e condenou " terrorismo doméstico alimentado pelo ódio", observando que a motivação do atirador ainda está sendo investigada.

"Hoje à noite, lamentamos pelas famílias de dez pessoas cujas vidas foram tiradas sem sentido e por todos que estão sofrendo as feridas físicas e emocionais desse tiroteio horrível", disse o presidente em comunicado.

"Somos gratos pela bravura dos membros da polícia e outros socorristas que tomaram medidas imediatas para tentar proteger e salvar vidas. A primeira-dama e eu estamos orando pelas vítimas e suas famílias, e os corações de todo o país estão com o povo de Búfalo."