Dinheiro recuperado pela Lava Jato será usado para conclusão de obras do Metrô Rio

As obras da Linha 4 do metrô até a Gávea serão retomadas. Nesta quinta-feira (12) o governador Wilson Witzel (PSC) anunciou que o valor para fazer a extensão e terminar a estação virá dos recursos apreendidos da Operação Lava Jato, que podem chegar a até R$ 1 bilhão.



“O doutor Marcelo Bretas disse que não sabe exatamente o valor, mas que pode ser de R$ 1 bilhão. O que existe hoje, R$ 300 milhões, seria de metade para a União e metade para o estado. Estamos conversando com os nossos senadores pra dar início a essas obras” explicou Witzel.



Também nesta quinta, o Ministério Público do Rio afirmou que as obras inacabadas podem provocar desabamentos no bairro. Uma ação civil pública chegou a ser ajuizada na quarta-feira (11) pedindo a retomada dos trabalhos.



De acordo com a promotora Patrícia do Couto Villela, coordenadora do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc), dois prédios da PUC e imóveis localizados na Rua Marquês de São Vicente podem correr risco de ruir por conta das obras inacabadas da Estação Gávea.



Diante do risco real de desabamento, o Ministério Público fez o pedido de anulação da ação, movida pelo próprio órgão, que impedia que o Governo do Estado voltasse a aplicar verbas na conclusão da Estação Gávea, sob responsabilidade da Concessionária Rio Barra, formada por empresas dos grupos Carioca, Odebrecht e Queiroz Galvão.



A Promotoria pediu o impedimento de novos repasses ao consórcio, uma vez que foram verificados verificados superfaturamentos na obra - em um primeiro momento, o Estado aplicar R$ 1,19 bilhão na obra. No entanto, segundo o MP e por meio de uma série de aditivos, mais de R$ 9 bilhões saíram dos cofres públicos.