Parte do dinheiro recuperado pela Lava Jato irá para prefeitura do RJ

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal e responsável pela operação Lava Jato no estado, aceitou um pedido da prefeitura do Rio de Janeiro e determinou que R$ 8,4 milhões desviados de obras da Transbrasil e da Transcarioca sejam transferidos para as contas da administração municipal.



A verba está incluída em um acordo de colaboração premiada firmado entre cinco delatores e o Ministério Público Federal. Em sua decisão, o magistrado ressaltou que além dos R$ 8,4 milhões ainda existem outros valores relacionados a essas obras, mas que ainda não pode deliberar sobre as quantias já que os processos não foram transitados em julgado — ainda não houve decisão final da Justiça.



O prefeito Marcelo Crivella e o governador Wilson Witzel tentam angariar recursos rastreados pela Lava Jato para, em meio a dificuldades financeiras, reforçar os cofres públicos.



Entenda o caso

A devolução de recursos recuperados pela Lava Jato não é inédita. A União e o governo estadual já a pleitearam em alguns casos. Recentemente, em fevereiro, o governador Wilson Witzel solicitou, e foi atendido, com R$80 milhões para serem utilizados na segurança pública. Em 2017, o 13º salário dos servidores do estado foi pago com R$ 250 milhões recuperados sobre o esquema de corrupção que seria chefiado por Sérgio Cabral. Em abril, Marcelo Crivella já havia solicitado ao STF metade dos R$ 2,5 bilhões do acordo firmado pela Petrobras com autoridades dos Estados Unidos, alegando que estava estabelecido que a transferência seria para o Brasil, não para a União, o que possibilitaria o recebimento pelos municípios.