Ataque à estação de trem deixa dezenas de mortos na Ucrânia

Pelo menos 39 pessoas, incluindo quatro crianças, foram mortas e quase 100 ficaram feridas em um ataque com foguete em uma estação ferroviária em Kramatorsk, no leste da Ucrânia, segundo autoridades ucranianas.

Em um post nas redes sociais nessa sexta-feira (08), o governador de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, revisou uma estimativa anterior de 30 mortos e disse que muitos dos 87 feridos estavam em estado grave. Um oficial de inteligência ucraniano disse que quatro crianças estão entre os mortos.

Autoridades ucranianas acusaram a Rússia pelo ataque, dizendo que ocorreu quando civis estavam na estação em uma tentativa de evacuar para partes mais seguras do país. A Rússia, no entanto, negou qualquer envolvimento.

“Dois foguetes atingiram a estação ferroviária de Kramatorsk”, disse a Ucrania Railways em comunicado.

Oleksandr Kamyshin, chefe da empresa ferroviária, chamou de “um ataque deliberado à infraestrutura de passageiros da ferrovia e aos moradores de Kramatorsk”.

"Este é apenas um terminal ferroviário comum... apenas uma cidade comum no leste da Ucrânia", disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy em um discurso em vídeo ao parlamento finlandês.

“Foi assim que a Rússia protegeu o Donbas, como eles veem a proteção da população de língua russa. E este é o 44º dia de nossa realidade”, acrescentou, referindo-se ao tempo que passou desde que a Rússia lançou sua invasão em 24 de fevereiro.

A Rússia negou atacar civis desde que invadiu a Ucrânia.

"Todas as declarações de representantes do regime nacionalista de Kiev sobre o 'ataque com foguete' supostamente realizado pela Rússia em 8 de abril na estação ferroviária da cidade de Kramatorsk são uma provocação e são absolutamente falsas", disse o Ministério da Defesa russo em comunicado.

“Enfatizamos que os mísseis táticos Tochka-U, fragmentos dos quais foram encontrados perto da estação ferroviária de Kramatorsk e publicados por testemunhas oculares, são usados ​​apenas pelas forças armadas ucranianas”, acrescentou.