Lula diz que todas as mulheres deveriam ter direito ao aborto e revolta evangélicos

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu ontem (6) que toda mulher deveria ter direito ao aborto no Brasil, por ser "uma questão de saúde pública". A afirmação, dada durante um debate realizado em São Paulo, gerou reação de evangélicos e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Para Lula, quem mais sofre com a proibição do aborto são as mulheres pobres. "Aqui no Brasil, as mulheres pobres morrem tentando fazer aborto, porque é proibido", disse Lula, afirmando que a mulher com dinheiro pode fazer o procedimento no exterior.

O ex-presidente avaliou que a pauta da família é "muito atrasada". "A sociedade evoluiu muito, os costumes evoluíram muito e precisamos ter coragem para fazer esse debate", declarou ele ignorando o que diz a Bíblia sobre o pecado do homicídio.

A ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves (Republicanos), afirmou em postagem no Instagram que "a pauta do ex-presidente sempre foi a cultura da morte". Damares aproveitou para contrapor a fala de Lula a de Bolsonaro, adversário do petista na campanha ao Planalto.

"Nas próximas eleições nossas escolhas serão: vida protegida desde a concepção x morte de crianças inocentes". A publicação de Damares foi compartilhada pelo senador Flávio Bolsonaro.

Votos de evangélicos

Nos últimos meses, Lula tenta entrar aos poucos nas igrejas evangélicas. Seu interlocutor oficial com os cristãos, Paulo Marcelo Schallenberger, e projetos liderados por pastores independentes contrários a Bolsonaro, são suas ferramentas para conquistar os evangélicos.

O pastor Henrique Vieira, do Rio de Janeiro, importante voz da esquerda entre os evangélicos e a classe artística, criou, junto de outras lideranças evangélicas do país, a campanha “Derrotar Bolsonaro é um ato de amor”. O movimento já tem um grupo de pastores que se reúne semanalmente.

O eleitorado evangélico foi decisivo para Bolsonaro  em 2018. Nesta semana, o atual presidente voltou a reafirma a importância da fé em sua plataforma de governo.

Líder da Igreja Batista Atitude, o pastor Josué Valandro Júnior é um dos muitos cristãos que rejeitam uma aproximação com Lula.

"Como esse homem pode ser candidato a presidente do Brasil? Ele ameaça todos e ainda diz que vai fazer o que em 4 mandatos do PT não fez! Mente demais! Ele mandou bilhões para países com ditadura de esquerda e deixou nosso povo na mão! Desviaram bilhões e bilhões das empresas públicas e deixaram a Petrobras com rombo de quase 900 bilhões! Vários líderes do PT, ministros e presidentes de estatais do governo Lula foram presos por roubo e cerca de 9 bilhões foram devolvidos pois as pessoas admitiram que roubaram! O que falta pra alguém com o mínimo de temor e inteligência ver que este homem não serve pro Brasil? Quem vota nele ou está louco, ou está defendendo uma boquinha, ou está tomado pela ignorância e maldade!", declarou Valandro recentemente em suas redes sociais.