Governo do Rio anuncia construção de moradias em áreas atingidas pelas chuvas em Angra dos Reis O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, visitou neste domingo (03/04) a Costa Verde, região fortemente atingida pelas chuvas no fim de semana, e percorreu áreas afetadas pelo temporal. Além de reafirmar o compromisso do Governo do Estado na adoção de medidas para minimizar os danos causados à população em várias regiões, o governador anunciou ainda a construção de moradias em um terreno no bairro Monsuaba, em Angra dos Reis, um dos pontos mais impactados. O projeto será executado pelo Estado do Rio em parceria com o governo federal e a prefeitura.

- Estou em contato direto com o prefeito Fernando Jordão, de Angra dos Reis, desde anteontem. A Prefeitura de Angra montou um abrigo em uma escola e nós já vamos dar toda a assistência às famílias. Acabei de falar também com o ministro Daniel Ferreira, do Desenvolvimento Regional. Esse terreno aqui já tem um projeto. O Estado e o Governo Federal vão fazer novas moradias nesse campo. Já está tudo liberado, já falei com o presidente (Jair Bolsonaro) e com o ministro. O estado vai entrar com uma parte e a União com outra. A Prefeitura já vai me entregar o projeto na segunda-feira, para já começar a tramitar, licitar, para alocar essas famílias e para tirar inclusive quem esteja em áreas de risco. São moradias definitivas – declarou o governador.

Castro, que também foi a Paraty, onde esteve em uma base de apoio a desalojados, ressaltou que, para o reforço da operação de resgate dos bombeiros, foram colocadas 11 aeronaves à disposição, nesta manhã, partindo do Rio à Costa Verde para transporte de insumos e equipes. São viaturas do Governo do Estado, Polícia Militar, FAB, Secretaria de Estado de Saúde (SES) e CBMERJ. O gerenciamento do tráfego é feito diretamente do Gabinete de Crise, montado no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Acompanhado do secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Leandro Monteiro, e do secretário de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Júlio Saraiva, o governador destacou ainda a mobilização de todos os órgãos estaduais em uma força-tarefa para auxiliar os municípios na limpeza das ruas, retirada de barreiras nas estradas e assistência à população. Segundo o Corpo de Bombeiros, mais de 150 pessoas foram resgatadas com vida no Estado. Há registro de 15 mortes em decorrência das chuvas.

- Aqui foi o local com mais vítimas, mas também temos uma preocupação grande com a Ilha Grande e as estradas de acesso à região. Com o tempo a gente vai liberando, mas vão se criando novas barreiras. A gente libera o trecho, cai uma barreira em outro trecho. Acabamos de falar com o presidente Jair Bolsonaro. A CRR fez um compromisso conosco de aumentar o efetivo aqui e nós, tanto pelo DER quanto pela Secretaria das Cidades, também já aumentamos o efetivo para liberar as estradas o mais rápido possível – disse Castro.

Após percorrer regiões da Costa Verde, o governador se reuniu, na Secretaria de Estado de Defesa Civil, em Angra, com o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, e demais equipes. No encontro, eles discutiram soluções e demais ações para os municípios impactados.

Secretarias atuam nas regiões
Desde as primeiras horas os órgãos e secretarias estaduais estão presentes nas cidades atingidas para atenuar os prejuízos gerados pelas chuvas. O RioSolidario, por exemplo, realizou a entrega de centenas de doações para diversas cidades no sábado. E, neste domingo, já entregou 4.000 litros de água no município de Angra dos Reis. As equipes da Secretaria do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) também estão mobilizadas e atuando em áreas afetadas para mutirão de limpeza, com equipamentos.

A Secretaria de Infraestrutura e Obras (Seinfra) já iniciou o envio de maquinários pesados como retroescavadeiras, escavadeiras hidráulicas e caminhões aos municípios de Nova Iguaçu e Queimados. A Seinfra visitou, junto com Inea e a Cedae, diversos pontos afetados pelo temporal, entre eles o Canal do Capenga, em Nova Iguaçu, que rompeu após as chuvas e teve o seu curso desviado.

A pasta também avalia a necessidade de intervenções  emergenciais  no local, como a contenção e recuperação da galeria, no intuito de evitar o desabastecimento de água na Região Metropolitana.