Temporal mata mãe e cinco filhos em Paraty/RJ

O temporal que atingiu a região metropolitana do Rio de Janeiro, além da Baixada Fluminense e Angra dos Reis, na Costa Verde, deixou mortos, vários feridos, desaparecidos e desabrigados. A chuva forte recomeçou por volta das 16h30 dessa sexta-feira (1º) e permaneceu por mais de 14 horas, provocando diversos estragos em várias regiões do estado do Rio de Janeiro.

Em Mesquita, na Baixada Fluminense, estava tentando salvar uma pessoa quando acabou levando uma descarga elétrica em um poste de iluminação. Daniel Ribeiro, de 38 anos, era advogado e pai de dois filhos. Após a perícia, o corpo foi retirado do local e levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Nova Iguaçu, também na Baixada.

Em Nova Iguaçu, o rio Botas transbordou e a cidade está em alerta máximo. As ruas estão alagadas. A situação é crítica e as pessoas estão ilhadas em suas residências.

Costa Verde

Em Paraty, seis pessoas de uma mesma família morreram depois de um deslizamento de terra que atingiu sete casas na comunidade costeira de Ponta Negra, na madrugada deste sábado (2).

Segundo a prefeitura, as vítimas são a mãe, Lucimar, que não teve a idade divulgada, e os filhos: João, de 2 anos, Estevão, de 5, Yasmin, de 8, Jasmin, de 10, e Luciano, de 15.

O sexto filho de Lucimar sobreviveu e foi levado para o Hospital Municipal de Paraty e, depois, encaminhado ao Hospital de Praia Brava, em Angra dos Reis. Além dele, quatro pessoas, de outras famílias, sofreram ferimentos sem gravidade.

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estão no local apoiando as ações de resgate.

A cidade de Angra dos Reis, na Costa Verde, foi atingida por um volume de chuva equivalente a 655 milímetros (mm).

Na Ilha Grande, o índice pluviométrico registrou 592 mm. No bairro Monsuaba, pelo menos quatro residências foram atingidas por deslizamentos de terra. A Defesa Civil foi acionada e cinco pessoas foram resgatadas. Outras 11, de acordo com o relato de parentes, estão desaparecidas. O Corpo de Bombeiros trabalha para localizar vítimas soterradas.

Todas as 28 sirenes do sistema de alerta, distribuídas em 20 blocos, que abrangem as áreas de risco, foram acionadas durante a madrugada, para alertar moradores sobre a possibilidade de deslizamentos e alagamentos.

A prefeitura de Angra dos Reis está disponibilizando abrigos para quem não tem condições de permanecer em suas casas. No momento, 13 pessoas encontram-se em abrigos, localizados em unidades da rede municipal de ensino, recebendo apoio da secretaria de Educação e da Assistência Social.

A rodovia Rio Santos (BR 101), está com vários pontos de interdição parcial e total, devido a deslizamentos e alagamentos, nos trechos que passam por Mangaratiba e Angra dos Reis. Nas duas cidades foram registradas também quedas de árvores e deslizamento de barreiras. Entre os quilômetros 446 e 599 da rodovia há trechos interditados.

Município do Rio

O Centro de Operações da prefeitura do Rio informou que a cidade retornou ao estágio de mobilização às 4h40 deste sábado, (2), devido à redução dos acumulados de chuva nas últimas horas. Antes, o município esteve em estágio de atenção desde as 23h45 de sexta-feira (1°).

No momento, o Sistema Alerta Rio, informa que o radar do Sumaré detecta núcleos de chuva no entorno da cidade e no oceano, que poderão causar chuva fraca nas próximas horas, principalmente na região costeira.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, em mensagem postada nas redes sociais, informa que, no momento, a situação na cidade é tranquila, mas que esteve complexa durante a noite e madrugada de hoje. “A gente não tem nenhuma situação em grande via mais crítica. Mas você tem algumas áreas da cidade, principalmente na zona oeste mais litorânea, a região das Vargens (Vargem Grande e Vargem Pequena), Guaratiba, partes da zona oeste mais próximas do mar, você tem ainda situações de alagamentos. Jacarepaguá também tem situações complexas. Na região da Grande Tijuca, o Rio Maracanã transbordou, mas já está normal”.

Paes informou ainda que a tendência é de chuva hoje, a princípio mais de fraca para moderada. “Então o meu pedido para vocês é que fiquem atentos, se puder evitar deslocamentos desnecessários a gente agradece para que a gente possa arrumar a cidade ao longo do dia”, disse.

Temporal danifica sistema Guandu

A chuva intensa que atingiu a Região Metropolitana na sexta-feira (1º) e na madrugada de sábado (2) acabou danificando uma das elevatórias do sistema Guandu. Com isso, a produção de água foi reduzida para os municípios da Baixada Fluminense e para a Zona Oeste do Rio, duas das áreas mais atingidas pelo temporal.

Segundo a Cedae, técnicos já trabalham no reparo do equipamento. De acordo com a companhia, imóveis com caixas d’água ou cisternas não devem ser afetados pela redução temporária do abastecimento. Porém, é recomendado aos consumidores que economizem água e reprogramem tarefas que não sejam essenciais e exijam grande quantidade de água.