Trens: SuperVia será obrigada a retomar grade antiga em função dos furtos de cabos A partir da próxima sexta-feira (1º/04), a SuperVia vai retomar a antiga grade de horários dos trens, praticada até o dia 6 de março. A concessionária não conseguiu implementar o novo planejamento, que deveria ter sido iniciado em 7 de março, em função dos sequentes furtos de cabos, que voltaram a afetar fortemente o sistema de sinalização automática dos trens nos últimos meses.

Nessas situações, por medida de segurança da operação e dos próprios passageiros, os trens precisam aguardar ordem de circulação e, consequentemente, os intervalos entre as composições são ampliados.

De 7 de março, data de início da nova grade, até ontem (28), foram verificadas 83 ocorrências de furto e vandalismos de cabos e equipamentos no sistema ferroviário, com impacto direto na operação. Dependendo do local da ocorrência, o impacto na operação pode ser potencializado, afetando mais de um ramal e gerando uma operação completamente fora do planejado.

Os passageiros estão sendo informados da medida por meio dos canais de comunicação da concessionária.

A SuperVia informou que continua empregando esforços e ratificou a parceria com as autoridades competentes com o objetivo de reduzir, sempre que possível, os impactos desse tipo de crime na operação ferroviária.

Balanço de furtos de cabos 2022

· Nos dois primeiros meses deste ano, criminosos já furtaram mais de 10 quilômetros (10 mil metros) de cabos do sistema de trens, e o custo com os reparos já soma R$ 440,2 mil. Além disso, 491 viagens foram canceladas ou interrompidas, por este motivo.
· Em janeiro e fevereiro de 2022 foram registradas 220 ocorrências de furto de cabos, o que representa um aumento de 268% em relação ao mesmo período de 2021.

Balanço de furtos de cabos 2021

· Cabos de sinalização: 861 ocorrências de furto de cabos de cobre de sinalização, um aumento de 142% em comparação a todo o ano de 2020. Em consequência disso, foi necessário repor 41,7 quilômetros de cabos (aumento de 420%).
· Cabos de rede aérea: 69 ocorrências de furtos no ano de 2021, foi necessário repor 6,3 quilômetros de cabos.
· Em todo o ano de 2021, o gasto com a reposição de cabos furtados foi de R$ 1,65 milhão (valor gasto com material).