Pastor é sequestrado por tropas russas Um pastor ucraniano-americano teria sido sequestrado de sua casa pelas forças russas no sábado passado.

Helen Bodyu disse à NBC News que sua família assistiu enquanto oito a dez soldados levavam seu marido, o pastor Dmitry Bodyu, 50 anos, de sua casa em Melitopol.

Ela observou que os soldados não eram agressivos.

"Eles chegaram de manhã", disse ela à agência de notícias por telefone. "Eles levaram nossos telefones, gadgets, computadores, documentos — e o levaram para algum lugar. Eu não sei onde."

A família Bodyu não tem notícias de Dmitry desde seu sequestro.

As informações sobre o sequestro levaram dias para se tornarem públicas porque a cidade foi capturada e as tropas confiscaram os celulares e outros dispositivos da família.

Dmitry nasceu na antiga União Soviética e emigrou para os Estados Unidos aos 17 anos. Mais tarde, ele se mudou para a Crimeia antes de trabalhar na Ucrânia.

Ele serve como pastor da Igreja da Palavra de Vida em Melitopol. Sua última mensagem no Facebook pedia aos cidadãos ucranianos que visitassem a igreja se precisassem de abrigo durante a invasão.

"Se você precisar de ajuda de qualquer tipo ou não tiver onde ficar ou tiver medo de estar em casa... a igreja está aberta", disse ele. "Estou no prédio da igreja... paredes muito grossas... prédio sólido. É por isso que você pode estar lá. Faremos o nosso melhor para fornecer o máximo possível."

"Que a paz de Deus esteja em seus corações e os mantenha seguros", acrescentou. "Vamos todos orar e invocar o Senhor para que o Senhor nos proteja de todo dano em nome de Jesus Cristo."

A filha, de 30 anos, disse que os soldados olharam as postagens de mídia social de seu pai antes de levá-lo.

"Tudo o que ele está fazendo é ajudar uma quantidade tão grande de pessoas que estavam escondidas na igreja, que era, tipo, mais de 50 pessoas", disse ela na quinta-feira. "E ele estava alimentando todos eles também, durante toda essa situação."

A família está chocada por ter sido alvo, mas especula que ele foi sequestrado por causa de participações de empresas familiares em restaurantes locais.

"Pode ser porque somos cidadãos americanos. Pode ser porque ele é, você sabe, um grande influenciador", disse Bodyu-Owaga. "Muitas pessoas o seguem e realmente querem saber sobre o que ele está pregando e o que ele está dizendo às pessoas, certificando-se de que ele não está falando sobre a Rússia e tentando dizer às pessoas: 'Sim, isso é uma coisa ruim.'"

A filha de Dmitry disse que os soldados voltaram na segunda-feira para devolver seus dispositivos e pegar uma Bíblia e um saco de dormir para seu pai.

"Estamos apenas esperando pelo melhor, e estamos orando por ele, e estamos orando para que ele seja forte", acrescentou ela.

Um porta-voz da vice-primeira-ministra da Ucrânia, Irene Vereshchuk, disse à NBC News que seu escritório não tinha conhecimento do suposto sequestro.
As forças russas invadiram a cidade depois de avançarem de bases na Crimeia no final de fevereiro.

Vereshchuk disse que as forças russas sequestraram pelo menos 14 líderes locais desde a invasão.