Alerta Pri: tecnologia agiliza localização de crianças desaparecidas Um alerta para encontrar crianças desaparecidas foi disparado pela primeira vez na noite de quarta-feira (23), no Rio de Janeiro, para três milhões de pessoas. Trata-se do Alerta Pri, criado pelo governo do estado para divulgar informações dos desaparecidos nas primeiras 24 horas, a fim de aumentar as chances de localização.

O Rio de Janeiro é o primeiro estado do país a contar com esse tipo de tecnologia voltado para combater o desaparecimento de pessoas. A mensagem traz o nome da criança, idade e o link para o site da Polícia Civil, criado especialmente para o Alerta Pri.

Desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, o Alerta Pri é usado pela Polícia Civil e torna obrigatória a divulgação de fotos e informações das vítimas pelas companhias de telefonia celular. Para o governador Cláudio Castro, o Alerta Pri esta é mais uma ferramenta importante na elucidação desse tipo de crime. 


- Nosso objetivo é aumentar o índice de solução de casos, além de reduzir esse tipo de crime no Estado do Rio de Janeiro. Não solucionar esses tristes casos é deixar uma ferida aberta. É preciso ter um fim para que haja um recomeço. O Alerta Pri vem ao encontro do que todos querem: sociedade, polícia e governo - ressaltou o governador em exercício Cláudio Castro.
Segundo a Delegacia de Descoberta de Paradeiros, 4.545 pessoas entre 0 e 17 anos de idade desapareceram apenas na cidade do Rio de Janeiro em 2020. Deste total, mais de 96% dos casos foram solucionados.  


A tecnologia levou esse nome em homenagem à Priscilla Belfort, irmã do lutador Vitor Belfort. Ela desapareceu em 2004 e nunca mais foi encontrada.

Quem puder, deve se cadastrar no número 55190 para receber alertas com prioridade.