Fundador da Hillsong recebe apoio da família após renuncia

A esposa de Brian Houston, Bobbie Houston, disse que ficará "para sempre" ao lado do marido após sua renúncia esta semana como pastor sênior da Hillsong Global. Eles são casados há 45 anos e fundaram a Hillsong Church em 1983, na Austrália.

Em mais um escândalo para a denominação, Houston renunciou após investigações internas sobre duas queixas nos últimos 10 anos, uma relacionada a mensagens de texto "inapropriadas" enviadas a um funcionário da Hillsong e a outra sobre alegações de que ele entrou no hotel. quarto de uma mulher que não era sua esposa. 

O fundador da Hillsong já está de licença enquanto se prepara para ser julgado por acusações de que ele supostamente ocultou um crime de abuso sexual de seu pai. 

As conclusões de duas investigações sobre sua conduta foram tornadas públicas na semana passada. Em um comunicado, o Conselho Global disse que Houston havia entrado no quarto de hotel de uma mulher que não era sua esposa sob a influência de "medicação ansiolítica além da dose prescrita, misturada com álcool" e enviou um texto "inapropriado" para um membro da equipe da Hillsong, que posteriormente renunciou. 

Em uma declaração conjunta na quarta-feira (23), os conselhos da Hillsong Global e da Austrália disseram que aceitaram sua renúncia e pediram orações pela família Houston. 

"Entendemos que haverá muita emoção com esta notícia e todos compartilhamos esses sentimentos. Independentemente das circunstâncias em torno disso, todos podemos concordar que Brian e [esposa] Bobbie serviram a Deus fielmente por muitas décadas e que seu ministério resultou em milhões de pessoas em todo o mundo sendo impactadas pelo poder, graça e amor de Jesus Cristo", disse o comunicado. 

"Hillsong Church nasceu da obediência e compromisso de Brian e Bobbie com o chamado de Deus e somos extremamente gratos por tudo o que Brian e Bobbie deram para construir Sua casa.

"Pedimos que continuem a orar por eles e por toda a família Houston durante este período desafiador". 

A declaração acrescentou que "uma mudança é necessária" e que a Igreja está realizando uma revisão independente de sua governança.