Expansão da Via Light começa a virar realidade após 12 anos de espera O Governo do Estado do Rio de Janeiro apresentou em audiência pública na terça-feira (22), o projeto de ampliação da Via Light, na Baixada Fluminense, entre a Rodovia Presidente Dutra, no acesso a Queimados, e a Avenida Roberto Silveira, em Nova Iguaçu. Com extensão de mais de 12 km, a estrada ficará pronta em 24 meses, após início das obras. A expansão beneficiará um milhão de pessoas.

A obra, uma das mais importantes do PactoRJ, vai custar R$ 730 milhões. A expansão vai ligar Nova Iguaçu diretamente à Via Dutra e a Queimados. Serão construídos sete viadutos e seis passarelas, além do remanejamento de 23 torres de alta tensão da Light. A expansão da Via Light é esperada pela população desde 2010.

- Além de ser uma alternativa para o trânsito na Baixada Fluminense, a extensão da Via Light vai possibilitar o desenvolvimento social e econômico da região. A obra será possível por meio do PactoRJ, pacote de investimentos que receberá aporte de R$ 17 bilhões do Governo do Estado em três anos para melhorias em diversas áreas, como infraestrutura, desenvolvimento social, saúde, educação, segurança e desenvolvimento econômico - afirmou o governador Cláudio Castro.

Dentre as melhorias propostas está a geração de 20 mil empregos, a criação de um polo de desenvolvimento socioeconômico e aumento da arrecadação para os municípios. A expansão vai gerar resultados positivos nas áreas de mobilidade, reestruturação urbana, moradia, entre outros.

- Trata-se de uma obra discutida há muitos anos. Não tenho dúvida de que uma obra deste tamanho é o que a Baixada Fluminense precisa para se tornar um polo de desenvolvimento econômico - diz Max Lemos, secretário de Estado de Obras e Infraestrutura (Seinfra).

O projeto prevê a criação de duas faixas para cada sentido e uma faixa central exclusiva para transporte público, além de já prever uma futura ligação direta ao Distrito Industrial de Queimados.

- Esta é uma obra importante para a mobilidade da Baixada Fluminense. Vamos conectar a Zona Norte do Rio até Queimados e Nova Iguaçu, e não tenho dúvidas de que vai funcionar. Cabe agora às prefeituras dar vitalidade e alavancar oportunidades de negócios nos vazios que surgirão com esta conexão que a expansão vai permitir - analisa Vicente Loureiro, conselheiro da Agetransp.