Consumidores denunciam site que se passa por loja da Xiaomi para roubar dados e dinheiro

Várias denúncias têm chegado à redação do Melodia News sobre falsos sites de compras. A maioria se refere à página de uma loja de e-commerce da Xiaomi, fabricante chinesa de smartphones.

Em uma das reclamações, o leitor que preferiu não se identificar relata ter acessado o site https://xiaomidobrasillojas.com/ (agora despublicada) para comprar um aparelho. Após escolher o medelo, preencheu seus dados como nome complete, endereço, CPF e número de celular. No entanto, na hora de efetuar o pagamento o site o direcionou a um contato de WhatsApp. Ele trocou mensagem com a empresa que se apresentou como ‎Loja Xiaomi Brasil Oficial, mas o atendente informou que não seria possível realizar o pagamento por cartão de crédito e ofereceu um desconto de 15% para pagamento à vista, no boleto. Ele ‘printou’ a mensagem que dizia:



“Devido às fortes chuvas que tivemos, estamos com uma instabilidade em nosso sistema de vendas no cartão de crédito estão fora do ar. Devido a este problema ocorrido nosso setor de financeiro está disponibilizando um desconto de 15%, para pagamento no boleto bancário a vista na data de hoje.”

Desconfiado, o cliente não concluiu a compra e pesquisou mais sobre a página no site Reclame Aqui, onde havia denúncias parecidas feitas por outros clientes e sem resposta da empresa.

Ele fez outras pesquisas e conclui que o site é realmente fraudulento. Apesar de não ter perdido dinheiro, o usuário teme que os golpistas usem seus dados de forma indevida e até mesmo lhe façam ameaças, já que estão de posse de seu endereço completo.

Além de denunciar ao Melodia News, o consumidor registrou a ocorrência no Procon Online e também denunciou o site ao Google. O mesmo ele fez ao bloquear o número de WhatsApp.

Nossa equipe entrou em contato pelo Fale Conosco e WhatsApp da página acusada de fraude, mas até a tarde desta terça-feira (22).

Pishing

Provavelmente este consumidor foi vítima de um novo kit para ataques de phishing, que permite a criação de páginas falsas idênticas às reais, com direito ao uso de URLs legítimas, até mesmo por criminosos sem muita intimidade com a tecnologia necessária.

A ideia da praga é inserir campos falsos de login, de forma que o usuário entregue suas credenciais aos bandidos acreditando estar logando em uma plataforma real.

Para 2022, a previsão é que este tipo de fraude se intensifique, como já vem acontecendo. De acordo com um levantamento da Feedzai, uma das tendências no Brasil é o Phishing, um golpe comum, simples, perigoso e eficiente. Os fraudadores se apresentam como uma instituição confiável através de e-mail, telefonema, SMS, aplicativos de mensagens e redes sociais para roubar as vítimas.

Para serem mais verossímeis, os fraudadores criam inclusive contas Pix com caracteres ou semântica que lembram o nome e sobrenome dos alvos e, ainda, enviam boletos bancários com codificação que possibilita a instalação de malware no celular da rede da pessoa fraudada.

Como denunciar

Ao perceber o golpe, a pessoa deve registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil. Além das delegacias, é possível fazer a denúncia de forma online AQUI.

É preciso também denunciar a página ao Google para que ela seja retirada do ar e não engane outras pessoas. Faça isso AQUI 



ACESSE AQUI A CARTILHA CONTRA CRIMES VIRTUAIS DO GOVERNO DO RJ



Outras ações

1.Recupere os registros e protocolos para entrar em contato com a empresa;

2.Registre as reclamações em sites de consumidores como a Comissão de Defesa do Consumidor do Rio de Janeiro; o Procon e o Ministério da Justiça;

3.Caso haja fraudes em sua conta bancária ou cartão de crédito, comunique imediatamente seu banco para cancelar as transações e registre o Boletim de Ocorrência na Delegacia;


4.Mantenha seu antivírus sempre atualizado também para bloquear programas maliciosos. Usando Software Livre você pode diminuir sua vulnerabilidade a golpes e ataques;


5.Nunca passe informações de senhas bancárias por telefone, dificilmente o Banco fará este tipo de pedido. Na dúvida, procure sua agência bancária;

6.Verifique com frequência seu extrato para evitar surpresas e denunciar qualquer transação suspeita assim que tomar conhecimento.