Produtor da TV Brasil agredido por professor passa por cirurgia O produtor Wahby Abdel Karim Khalil passa por uma cirurgia nesta tarde para conter a hemorragia cerebral sofrida após ser agredido no condomínio onde mora, no bairro de Águas Claras, em Brasília. Khalil é produtor da TV Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e síndico do prédio onde mora. Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Santa Lúcia.

O jornalista está consciente e clinicamente estável, segundo boletim do hospital. No entanto, seu estado corre risco de se agravar. Foram identificadas lesões cranianas. Em mensagem enviada a amigos, Khalil informou que está com muita dor na face e na boca, além de ter apresentado dor de cabeça ontem (17).

A agressão ocorreu na manhã de ontem. Khalil levou um soco no rosto por um morador do condomínio após uma discussão na academia do prédio. O agressor, o professor de educação física Henrique Paulo Sampaio Campos, discutiu com a vítima sobre um saco de pancada instalado na academia do condomínio e, durante o desentendimento, desferiu-lhe um soco. Ao ser atingido, Khalil caiu e a sua cabeça bateu no chão. Todo o ocorrido foi registrado pela câmera de segurança da academia do condomínio.

Repúdio
Em nota, a EBC lamentou o ocorrido e se colocou à disposição dos familiares de Khalil. “A EBC presta solidariedade ao empregado Wahby Khalil, lotado na Diretoria de Jornalismo, em razão da agressão sofrida na última quinta-feira (17). A Empresa lamenta profundamente o ocorrido e informa que já está em contato com seus familiares prestando assistência”.

Instituições ligadas à administração de condomínios condenaram a agressão. Em Nota de Repúdio, o Instituto Nacional de Condomínios e Apoio aos Condôminos (INCC), a Associação Brasileira de Síndicos e Condomínios (Abrassap) e a Associação dos Síndicos de Condomínios Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (Assosindicos-DF) consideraram “intolerável” a agressão proferida pelo professor de educação física.

“As entidades consideram inaceitável a conduta prepotente, arrogante e agressiva do morador do condomínio. É intolerável que um professor proceda com um soco, combinado com truculência, desrespeito e falta de civilidade se colocando acima da lei, agredindo física e moralmente o síndico do condomínio”.

As entidades colocaram à disposição de Khalil advogados e psicólogos, além de outras providências. Também pediram punição ao agressor e sua exclusão do Conselho Regional de Educação Física.

“Deste modo, as entidades acima repudiam as agressões do personal trainer Henrique Paulo, e colocamos o corpo jurídico e psicológico das entidades citadas acima, à disposição do Condomínio Residencial Luna de Águas Claras para medidas protetivas em favor da vítima, e para ações de lesão corporal, injuria real, ameaça, dano moral e representação na Comissão de Ética Profissional do Conselho Regional de Educação Física da 7ª Região – CREF7 - DF, pedindo sua exclusão dos quadros por inidoneidade moral”.


*Agência Brasil