Personal trainer que espancou morador de rua achou que vítima estava estuprando sua mulher

O personal trainer Eduardo Alves, de 31 anos afirmou, em nota oficial, ter agredido o morador de rua flagrado mantendo relações sexuais com sua esposa, Sandra, por achar que ela estava sendo estuprada. No entanto, a mulher de Eduardo disse que a relação foi consensual.

O personal agrediu o homem dentro do carro de sua mulher e, posteriormente, os envolvidos foram encaminhados à 16ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal.

O flagrante ocorreu na última quinta-feira, 10 de março, quando Eduardo procurava por sua esposa pelas ruas de Planaltina, região administrativa do DF. Segundo o personal, ela havia saído horas antes para ajudar pessoas em situação de rua, em uma ação da igreja que frequentava.

A mulher afirmou que a relação foi consensual, mas Eduardo disse que ela estava tendo um “surto psicótico” e, por isso, não teria capacidade de consentir uma relação sexual.

Em áudios do depoimento que circulam nas redes sociais, a mulher se mostra bastante confusa. Primeiro, ela diz que sentiu vontade de abraçar o morador de rua após ele pedir doações.

Em seguida, ela diz que o homem teria pedido para fazer carinho em seus pés. “Eu senti uma coisa tão boa”, afirmou.

Ao longo do relato, a mulher explica que começou a ter visões de que estaria na presença de Deus. Já em outros momentos, afirma que o morador de rua aparecia como seu companheiro. “Às vezes, eu o enxergava como Deus, às vezes como Eduardo”, disse.

No depoimento ela chega a citar o pastor e influenciador digital Tiago Brunet, que teria lhe dito para não deixar outras pessoas plantarem dúvida nela.

“Aí apareceu uma mensagem do Tiago Brunet que falava que a minha sogra estava atrapalhando, porque minha sogra estava preocupada (…) Aí ele apareceu, um morador de rua, com uma bolsa clara. Eu encontrei ele na porta de um comércio, de uma conveniência, e ele ia acender um cigarro. Aí eu tirei o cigarro da mão dele, falando que ele já estava curado. Levei ele para conversar em um banco”, relatou a mulher nos áudios.

Nas redes sociais, por meio de um vídeo, Eduardo revelou que Sandra foi internada em uma clínica psiquiátrica para se tratar, e complementou dizendo que ainda acredita que a esposa foi abusada sexualmente pelo homem em situação de rua.
 


“Estão gerando conteúdo ofensivo contra a minha esposa, onde sofreu violência sexual por um morador de rua e, diante disso, vejo que os fatos têm sido transmitidos de maneira errônea por ambas as partes, sendo que deveria estar preocupado é a saúde dela, até porque ela se encontra internada. Venho pedir que pare com essa divulgação, porque está prejudicando toda a família, quando os cuidados deveriam estar sendo voltados apenas na melhora dela”, disse Eduardo. 

O homem em situação de rua foi levado para o hospital com olhos roxos e lesões no corpo, mas passa bem.



 



*Imagens: Reprodução/Redes Sociais