Igrejas históricas são destruídas em guerra contra a Ucrânia O fogo da artilharia e as bombas russas devastam não apenas casas e prédios públicos ucranianos, mas também muitos locais de culto religioso. Recentemente, o presidente ucraniano, V. Zelensky, se referiu em suas redes sociais diretamente à destruição da histórica Catedral de Kharkiv, concluída em 1770. Um míssil atingiu a igreja, que abrigava refugiados, na noite de 2 de março. Felizmente, ninguém ficou ferido na explosão.

“Mesmo se você destruir todas as nossas igrejas e catedrais ucranianas, você nunca será capaz de destruir nossa profunda fé na Ucrânia e em Deus”, disse o presidente ucraniano em seu discurso no dia 3 de março.

Destruição
A Catedral da Dormição da Bem-Aventurada Virgem Maria, que pertence à Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou, também havia sido destruída anteriormente. Em 1930, os comunistas profanaram e devastaram a catedral e assumiram o controle dela. O edifício foi restaurado para uso religioso apenas em 2009.

Duas outras igrejas foram danificadas na cidade de Kharkiv, sitiadas e bombardeadas desde o primeiro dia da guerra, em 24 de fevereiro. Estas foram a Igreja de Santo António e a Igreja das Mulheres Portadoras de Fragrâncias.

Outro edifício histórico (de 1862) destruído (7 de março) pelo fogo da artilharia russa foi a Igreja da Natividade. A Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou anunciou que apenas o campanário da igreja foi deixado ileso pelo bombardeio.

A informação sobre a destruição da igreja em Viazovka foi associada à do incêndio de outra igreja histórica de grande valor. A Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou anunciou que a Igreja de São Jorge (de 1873), perto de Kiyv, foi incendiada em 7 de março. Segundo o pároco local, pe. Petro Kotyuk, os ocupantes russos deliberadamente bombardearam o prédio da igreja e, além disso, abriram fogo contra os civis escondidos nas proximidades.

A Igreja do Ícone Kazan da Mãe de Deus, também do Patriarcado de Moscou, concluída em 1827, foi bombardeada na noite de 7 de março. Embora felizmente o grau de dano não seja grave, o prédio do presbitério adjacente foi totalmente queimado.

Naquela mesma noite, os russos também bombardearam o Mosteiro da Assunção de Yelets em Czernihiv.

A Igreja da Ascensão do Senhor, em Kiev, foi bombardeada em 5 de março. Um míssil atingiu o prédio meia hora depois de um serviço religioso. “ Graças a Deus ninguém ficou ferido . A essa altura, paroquianos e crianças estavam bebendo chá em um prédio próximo. As crianças se assustaram, caíram no chão e começaram a chorar”, disse o padre local, Jan Shevchenko (Patriarcado de Moscou).

Na região de Zaporizhzhia, a Igreja de São Tikhon Zadonsky foi destruída no dia 8 de março, juntamente com outras instalações da paróquia (do Patriarcado de Moscou) e casas próximas. Felizmente, os moradores conseguiram fugir e se proteger.

No mesmo 8 de março, o prédio do Seminário Metropolitano de Vladimir, na cidade de Sumy, foi bombardeado por aviões russos. Felizmente, não houve vítimas do ataque aéreo. Sumy tem sido bombardeado continuamente desde o primeiro dia da invasão de Putin.

O bombardeio em Malin vem acontecendo continuamente por vários dias.  Uma das igrejas locais do Patriarcado de Moscou já havia sido destruída antes. 

Em Schastie, a Igreja de Santa Catarina, cncluída em 1914, foi construída de forma intermitente por várias décadas pelos moradores locais, frustrados pelo rio Donets transbordando regularmente em suas margens, impedindo-os de participar de serviços religiosos na igreja em Staryi Aidar. O prédio foi anificado por fogo de artilharia em 7 de março.

Irpen, perto de Kiev, é um dos lugares com a situação humanitária mais grave. A cidade teve sua eletricidade completamente cortada, assim como o aquecimento, a água, medicamentos e alimentos. A luta feroz que vem acontecendo ao seu redor por vários dias levou à morte de pelo menos 20 civis. Os russos chegaram ao ponto de atirar em um comboio de evacuação reunido na igreja. O vicariato e a capela da igreja estão entre os edifícios da aldeia destruídos na guerra. Felizmente, os projéteis não atingiram o prédio principal, onde dezenas de pessoas, incluindo crianças e pessoas com deficiência , se abrigaram.