CEO da Pfizer diz que novas variantes da Covid podem tornar quarta dose da vacina necessária Uma quarta dose de uma vacina contra a Covid-19 pode ser “necessária” para proteger as populações contra a doença, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla, no domingo (13), em um debate entre autoridades de saúde pública sobre se o surgimento de novas variantes.

“Antes de tudo, tentamos muito diligentemente nos manter à frente do vírus porque… uma terceira dose de uma vacina Covid-19 é “realmente muito boa para [prevenir] hospitalizações e mortes… não é tão boa contra infecções”.

Em janeiro, o Dr. Anthony Fauci, o principal conselheiro médico do governo dos Estados Unidos, sugeriu que ele precisaria “ver qual é o resultado da terceira dose” antes de decidir se uma quarta dose seria necessária para a população americana em geral. As diretrizes federais dos EUA já permitem uma quarta dose para indivíduos imunocomprometidos.

Dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA mostram que, embora uma terceira dose de uma vacina Covid-19 ajude a prevenir a hospitalização da variante Omicron, a proteção de uma terceira dose pode começar a diminuir após quatro meses.

Autoridades de saúde pública em todo o mundo estão considerando a possibilidade de lançar uma quarta dose de vacinas Covid-19 ainda este ano para reforçar a imunidade em declínio das vacinas existentes e proteger melhor contra novas variantes. 

Fornecer uma quarta dose pode ser um desafio logístico para os EUA, que já lutam para dar às pessoas uma terceira dose de vacina. Apenas 29,1% dos EUA quiseram tomar a terceira dose. 

A vacina da Pfizer contra a Covid-19 ajudou a gerar receitas recordes para a farmacêutica. A Pfizer registrou quase US$ 37 bilhões em receita (de um total de US$ 81,3 bilhões) no ano passado apenas com as vendas de vacinas contra a doença causada pelo coronavírus. A empresa espera vender mais US$ 32 bilhões em vacinas este ano, além de US$ 22 bilhões para sua pílula anti-covid, chamada Paxlovid.

No entanto, Bourla diz que a Pfizer está desenvolvendo vacinas para trazer a sociedade de volta ao “como costumávamos viver” e diz que a farmacêutica está trabalhando para desenvolver vacinas que possam proteger contra todas as variantes e fornecer proteção por pelo menos um ano.