Ministro da Justiça pede providências contra filme de Danilo Gentili com Fábio Porchat

O Ministro da Justiça, Anderson Torres, anunciou em suas redes sociais que tomará providências sobre o filme "Como se tornar o pior aluno da escola", produção de 2017 do humorista Danilo Gentili, com participação do ator Fábio Porchat. Neste domingo, o filme foi um dos assuntos mais comentados no Twitter por usuários que acusaram o longa disponível na Netflix de apologia à pedofilia.“Assim que tomei conhecimento de detalhes asquerosos do filme ‘Como se tornar o pior aluno da escola’, atualmente em exibição na @NetflixBrasil, determinei imediatamente que os vários setores do @JusticaGovBR adotem as providências cabíveis para o caso”, escreveu o ministro em suas redes sociais.

Além de Torres, o secretário especial da Cultura Mário Frias disse estar "fazendo o mesmo" em seu setor. "Isso não pode continuar”, tuitou Frias.

Leia também: DANILO GENTILI E FÁBIO PORCHAT SÃO CANCELADOS POR FILME NA NETFLIX COM ALUSÃO À PEDOFILIA

O filme de 2017 tornou-se alvo de críticas nas redes sociais por incentivar a pedofilia, além de despertar gatilhos em vítimas de abuso sexual. Diante das críticas, o roteirista e ator do longa, Danilo Gentili, rebateu, em seu Twitter, que o “maior orgulho” de sua carreira é ter conseguido “desagradar com a mesma intensidade tanto petista quanto bolsonarista”.

O filme é baseado no livro homônimo de Danilo Gentili, lançado em 2009, e conta a história do personagem Pedro. O adolescente encontra um diário que ensina como provocar caos na escola sem ser pego. Ele resolve seguir as dicas com seu amigo Bernardo. 

A cena mais polêmica mostra o personagem Cristiano (Fábio Porchat) pedindo a dois meninos que o masturbem. "Vocês batem uma p####ta pro tio", diz o personagem para as crianças. E, ainda na imagem, a cena sugere que Cristiano coloca a mão da criança em seu órgão genital, satisfazendo seu desejo.