Carona solidária pode amenizar impactos da alta dos combustíveis

Vários fatores, incluindo a guerra na Ucrânia, tem provocado o aumento do combustível em todo o mundo. Aqui no Brasil, a Petrobras anunciou ontem uma alta de 18,77% na gasolina e 24,9% no diesel. Especialistas em economia financeira orientam alguns caminhos para os motoristas sofrem menos o impacto das constantes altas.

O presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, faz um alerta sobre os riscos para as finanças. “O aumento ocasiona um gasto extra que deve ser avaliado antes de entrar no orçamento, precisando repensar o uso dos veículos. Isso sem contar o previsível aumento nos preços dos produtos que consumimos, já que grande parte são transportados por caminhões movidos a diesel, e o provável aumento dos preços dos serviços de transporte, como ônibus e táxis”, orienta Domingos.

“Neste cenário, é preciso considerar formas de economizar no combustível, segundo o especialista. “Repense o uso do carro em determinadas situações, já que nem sempre é preciso fazer tudo com ele. Otimize as viagens, pegando ou oferecendo carona e fazendo rodízios com colegas de trabalho e amigos”, conclui.

Um dos passos é optar pelo transporte público. Para aqueles que fazem trajetos curtos, a bicicleta pode ser uma boa opção. E para quem não pretende deixar o carro na garagem, a carona solidária é a melhor saída.

É possível combinar com colegas de trabalho, por exemplo, que morem no mesmo trajeto, de seguirem num mesmo veículo e dividir o valor do combustível. Além de proporcionar economia, a carona solidária contribui para um trânsito melhor, com menos carros nas ruas. Experimente também combinar uma carona com irmãos da igreja. Se você vai para a igreja num carro e seu vizinho vai em outro, marquem de ir juntos em um mesmo carro, no seu ou no dele, e dividam o valor do combustível.

Aplicativos de caronas solidárias


A ideia da carona solidária é usar diferentes ferramentas para organizar o ato de dar carona. A prática, que já era comum em comunidades que faziam trajetos semelhantes diariamente, como moradores de condomínios que deixavam os filhos na mesma escola, ganhou uma nova dimensão com a chegada das redes sociais. Mas é preciso estar atento à segurança.

Logo que os primeiros grupos de faculdades, igrejas e outros começaram a se organizar, notou-se um padrão de oferta de caronas. Em alguns países da União Europeia, nos Estados Unidos e no Canadá, a prática é incentivada pelo governo. Nos EUA, alguns estados até mantêm faixas exclusivas em rodovias para veículos que transitam com maior número de passageiros.

Com a popularização dos smartphones, surgiram diversos aplicativos que organizam as caronas, e não apenas de curta distância. Aqui no Brasil, pode-se ir para outras cidades e até diferentes estados com o uso desses aplicativos; na Europa, também é comum transitar por países próximos.

Entre os aplicativos mais usados de carona solidária, estão 99Carona, BlaBlaCar, Waze Carpool e sites ou grupos de redes sociais, como Caroneiros e Caronetas.





(*Imagem meramente ilustrativa)