Bolsonaro comemora a vida, após um ano da facada

O presidente Jair Bolsonaro conversou com simpatizantes e ouviu até um canto de parabéns durante o seu tradicional encontro com populares hoje (06), em frente ao Palácio da Alvorada. Há exato um ano, em 6 de setembro de 2018, o então candidato à presidência sofreu uma facada quando fazia campanha em Juiz de Fora/MG. Em live publicada em seu perfil de Facebook, Bolsonaro trata a data como seu aniversário e agradece os médicos de Juiz de Fora pelo atendimento recebido na cidade após o atentado.



"Hoje é meu aniversário, nascido em Juiz de Fora. Muito obrigado, Santa Casa de Juiz de Fora, estou vivo graças a Deus e dirigindo com a graça de Deus o destino dessa nação", disse Bolsonaro. Logo em seguida, o presidente completou: "7 de setembro é amanhã, quero todo mundo de verde e amarelo. Vamos comemorar a nossa data, nossa independência".



Apesar de falar com a imprensa na saída do Planalto durante a manhã, Bolsonaro disse, nesta sexta-feira (6/9) que só falaria sobre dois assuntos: o aniversário e as comemorações do 7 de setembro. Na quinta-feira (5/9), o presidente escolheu o subprocurador Augusto Aras para comandar a Procuradoria-Geral da República (PGR) no lugar de Raquel Dodge. A decisão foi criticada tanto pelos apoiadores do presidente quanto pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). 



Nas redes sociais, os filhos de Jair Bolsonaro também se manifestaram sobre a data. O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro lembrou que o pai passará, no próximo domingo (08), por mais uma cirurgia relacionada ao incidente.



Segundo o médico Antonio Macedo, "o presidente fará uma nova cirurgia para a correção de uma hérnia incisional" no local das últimas intervenções cirúrgicas. Ele deve ficar até 10 dias internado.



Já o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) tratou o incidente como tentativa de assassinato e disse que estará em Juiz de Fora para um culto ecumênico em lembrança à data.



Autor da facada, Adélio Bispo de Oliveira está preso e foi declarado inimputável, incapaz de compreender o ato que cometeu e que por isso não pode responder pelo crime.