Pesquisa: trabalho remoto favorece igualdade de oportunidades entre homens e mulheres A pandemia e o trabalho remoto reuniram em lares em todo o mundo homens e mulheres que precisaram trabalhar ou participar de reuniões enquanto lidavam com os afazeres domésticos. Por isso, na pesquisa "A Nova Era do Trabalho", realizada pela Workana, maior plataforma de trabalho freelance e remoto da América Latina, com mais de 13 mil talentos independentes cadastrados, 84% dos entrevistados afirmam que o trabalho remoto favorece a inclusão e igualdade de oportunidades, rompendo barreiras culturais, sociais e de gênero.

"O confinamento aliado à maior digitalização no ambiente de trabalho também trouxe uma abertura promissora. Questões relacionadas às deficiências e capacidades diferentes, diversidade sexual, idade e vulnerabilidade social, após a digitalização do trabalho, passaram a estar em outro plano quando falamos de contratar. Agora priorizamos o que realmente importa: as habilidades técnicas para desenvolver tarefas", analisa Sofía Mansur, gerente de marketing de Workana e uma das responsáveis pela pesquisa.

Isso fica ainda mais claro quando analisamos o perfil dos entrevistados. 60% dos talentos independentes têm filhos e 50% são mulheres. Dividir o mesmo ambiente, muitas vezes inadequado, para executar as entregas enquanto lidam com as questões domésticas e relacionadas às crianças, fez com que as condições de trabalho entre homens e mulheres se tornassem equânimes em uma medida jamais vista no mercado de trabalho. "Ainda temos que percorrer um longo caminho, mas, aos poucos, vamos estabelecendo as bases de uma empregabilidade mais inclusiva", afirma Sofía.

O estudo "A Nova Era do Trabalho", realizado pela Workana ouviu mais de 13 mil talentos independentes cadastrados em sua plataforma. A pesquisa, realizada no fim de 2021, retrata as mudanças nas relações de trabalho após dois anos de pandemia e aborda temas como equilíbrio entre carreira e vida pessoal, vantagens e desvantagens do home office, áreas que mais contratam talentos independentes e o perfil socioeconômico dos freelancers ao redor do mundo.