Rio é a primeira capital do país a liberar uso de máscaras também em espaços fechados

A partir de agora, quem quiser, não precisa mais usar máscara de proteção contra a covid-19 em ambientes fechados no município do Rio de Janeiro. O prefeito Eduardo Paes anunciou nesta segunda-feira (07) que cumpre a determinação do Comitê Científico do município para acabar com essa obrigatoriedade.

A liberação ocorre em meio ao cenário epidemiológico positivo. Um decreto com a medida foi publicado agora à tarde em edição extraordinária do Diário Oficial e, só então, o uso de máscaras poderá ser descartado.

O Rio é a primeira capital do país a suspender o uso de máscara nesta pandemia. Os especialistas do grupo orientam que se mantenha a utilização em locais fechados, pessoas imunodeprimidas, com comorbidades de alto risco, não vacinadas e com sintomas gripais. 

O secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, ressaltou, no entanto, que a exigência do passaporte vacinal continua mantida pelo menos até o fim de março.

O prefeito declarou que o passaporte da vacina irá acabar assim que a cidade atingir 70% da população vacinada com a dose de reforço.

“Atendendo recomendação do comitê científico da prefeitura do Rio, edição extra do Diário Oficial nessa tarde libera do uso de máscaras em espaços abertos e fechados na cidade do Rio de Janeiro. Quando atingirmos 70% na dose de reforço, acaba também o passaporte da vacinação. Bora vacinar!”, anunciou Eduardo Paes em suas redes sociais.

Máscaras no Estado do Rio

Na última quinta-feira (3), a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro publicou um decreto em que tornou facultativo para todas as cidades a definição sobre a obrigatoriedade do uso da máscara em ambientes fechados e abertos. A medida foi tomada em função da melhora do cenário epidemiológico da covid-19 no estado e também devido ao avanço da cobertura de vacinação. Já na sexta-feira (4), a Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, publicou um decreto que desobriga o uso de máscaras no município.