Igrejas perto da fronteira da Ucrânia abrigam refugiados enquanto 1 milhão fogem da invasão russa Igrejas em países vizinhos à Ucrânia abriram suas portas para abrigar e ajudar refugiados. A agência de refugiados das Nações Unidas estimou na quinta-feira (03) que 1 milhão de pessoas fugiram da nação do Leste Europeu desde o início da invasão da Rússia na semana passada. 

"Em apenas sete dias, 1 milhão de pessoas fugiram da Ucrânia, desenraizadas por esta guerra sem sentido", disse o alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, em comunicado . "Trabalho em emergências de refugiados há quase 40 anos e raramente vi um êxodo tão rápido quanto este".

Muitos dos deslocados fugiram para países vizinhos como Polônia, Moldávia, Eslováquia e Hungria, enquanto muitos outros permanecem na Ucrânia. 

Grandi disse que as pessoas estão fugindo da violência "hora a hora" e "minuto a minuto", já que "incontáveis" pessoas também foram deslocadas internamente na Ucrânia. O funcionário da ONU alertou que “mais milhões provavelmente serão forçados a fugir” a menos que o conflito chegue a um “fim imediato”.

Igrejas em países vizinhos estão entre centros comunitários e campos que abrigam refugiados da violência, com alguns vendo centenas de ucranianos indo e vindo nos últimos dias. 

Como a Polônia recebeu o maior número de refugiados ucranianos, uma igreja que atendeu a 400 refugiados é uma igreja batista em Chelm. De acordo com a Federação Batista da Europa, a igreja está "cheia de vida", pois retirou seus bancos para dar espaço para as camas. 

"Não é a tensão que você sente ao entrar no prédio, mas a vida, a paz e a alegria", diz um comunicado da federação. "As crianças riem e brincam enquanto as mães se preparam para a viagem. O piano da igreja toca uma variedade de músicas, nenhum dos hinos, enquanto as crianças praticam suas aulas de piano."
A União Batista Polonesa espera abrigar até 1.000 refugiados.

De acordo com o Conselho de Missões Internacionais da Convenção Batista do Sul, os batistas poloneses estabeleceram 40 campos de abrigo. A organização fornece aos acampamentos itens de cama, alimentos e itens de higiene, enquanto a Send Relief, braço de socorro da International Mission Board, fornece fundos para ajudar nos esforços de socorro. 

Em Cluj-Napoca, Romênia, os metodistas estão fornecendo abrigo para refugiados em um antigo hotel que foi alugado e transformado em um centro comunitário, de acordo com o superintendente da Igreja Metodista Unida na Romênia, Rev. Rares Calugar. 

"A UMC construiu uma rede em Cluj-Napoca e tem acesso a vários apartamentos e casas onde aqueles que saem do centro comunitário podem ficar para dar lugar aos recém-chegados", disse Calugar à agência oficial de notícias da UMC.

Os membros da igreja também viajaram para a fronteira para ajudar os refugiados que deixam a Ucrânia.

Igrejas da UMC na Hungria, Eslováquia e Polônia também forneceram abrigo para refugiados. 

Especialistas dizem que a invasão é o ataque mais significativo de um país europeu a outro desde a Segunda Guerra Mundial. Os líderes mundiais pediram ao presidente russo, Vladimir Putin, que ponha fim à guerra, e a comunidade global emitiu sanções direcionadas para cortar a Rússia do financiamento e da tecnologia ocidentais.

Um executivo da União Europeia alertou no domingo (28/02) que até 4 milhões de ucranianos podem fugir do país e até 7 milhões podem ser deslocados internamente pelo conflito. 

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson , disse aos membros do Parlamento na quarta-feira que Putin deveria ser investigado pelo Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra, citando ataques contra civis na Ucrânia. 

A segunda rodada de negociações entre os dois países começou na quinta-feira na Bielorrússia. A Ucrânia disse que ambos os lados concordaram em criar corredores humanitários por meio de um cessar-fogo que permitiria a evacuação de civis e a entrega de ajuda. 

Mykhailo Podolyak, conselheiro do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy, disse à Reuters que o cessar-fogo só existirá em áreas onde os "corredores humanitários estarão localizados".

"Será possível cessar o fogo durante a evacuação", disse ele.


*Com informações do The Christian Post
(*Foto: Reprodução / Instagram )