Educação financeira à luz da Bíblia


"Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?” – Lucas 14.28



Educação financeira parece uma conversa restrita aos economistas, contudo este é um assunto que diz respeito a todos nós e é de muito mais fácil compreensão do que a princípio parece ser. Nesta coluna  vamos tentar  tratar  deste tema,  de forma simples, com dicas práticas e objetivas. Hoje "conversaremos" um pouco sobre orçamento doméstico.


Lembro de um amigo que sempre estava endividado e, claro, reclamava que ganhava muito pouco, não podendo atender às necessidades da sua família. Após uma situação bastante favorável, ele abriu um negócio e passou a ganhar cerca de 10 vezes mais. Mas... permaneceu completamente endividado. Acredite, é real!

Mais do que nunca nestes tempos de pandemia, e em um futuro pós-pandemia,  ter um planejamento financeiro familiar é, e será essencial, para quem deseja ter controle de suas finanças,  proporcionando um futuro seguro para todos de sua casa. Contudo, diferentemente do planejamento pessoal, o modelo familiar requer a participação de todos os que vivem na residência, inclusive filhos. Por isso, é preciso envolver a todos, começando em primeiro lugar a colocar no papel todas as despesas e receitas da casa. A partir daí, é possível saber para onde o dinheiro está indo e se o problema não está no fato de que aquilo que sai é muito superior ao que entra, não importando o quanto entra, como no caso do meu amigo.


Outra dica prática é mapear as despesas da família. Um planejamento financeiro familiar eficaz passa pelo controle de todas as despesas de quem reside na casa. Comece anotando todos os gastos da família e a forma como eles são pagos. É importante incluir neste mapeamento mesmo as despesas pequenas, como o cafezinho depois do almoço e a bala na saída do colégio. Somadas, elas podem ter um grande impacto no orçamento familiar. O controle pode ser feito por meio de um simples caderninho, planilha de gastos ou um programa de controle de gastos.





Por fim, crie metas para as despesas da família. Para que o planejamento financeiro familiar realmente funcione e ajude a colocar as finanças nos eixos é importante estabelecer prioridades para as despesas de cada membro da família. Assim, é possível identificar de forma clara os gastos que são supérfluos e aqueles que são essenciais. Isso ajuda e muito na hora de identificar onde é possível cortar despesas. 

Um bom planejamento financeiro familiar conta ainda com um limite de gastos para cada categoria de despesa da família. Defina o valor máximo que pode ser gasto em cada área (moradia, saúde, alimentação, etc) e se atenha a esta quantia.



Deus te abençoe.


s