Fogo na maior usina nuclear da Europa é controlado; presidente ucraniano clama por ajuda mundial As forças russas abriram fogo na maior usina nuclear da Europa, a usina Zaporizhzhia, na cidade de Enerhodar, na manhã de sexta-feira (horário local), iniciando um incêndio e despertando preocupações de um desastre nuclear no nível de Chernobyl. 

A autoridade nuclear da Ucrânia anunciou, no entanto, que o fogo foi controlado, as unidades de energia permaneceram intactas e nenhuma mudança na radiação foi detectada. 

A Inspetoria Reguladora Nuclear do Estado não pôde fornecer informações sobre os mortos e feridos.

A usina possui seis reatores, e a agência forneceu uma atualização sobre a situação de cada um. A unidade um está fora, enquanto as unidades dois e três foram desconectadas da rede. A unidade quatro está operando com 690 MW de potência, enquanto as unidades cinco e seis estão sendo resfriadas.

"Atualmente, o local da central nuclear de Zaporizhzhia está ocupado pelas forças militares da Federação Russa", observou a agência.

Dmytro Kuleba, ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, tuitou que as forças russas estavam "atirando de todos os lados" na instalação.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy fez comentários desesperados quando o fogo começou.

"A maior usina nuclear da Europa está pegando fogo agora", disse ele, de acordo com uma tradução de seus comentários. "Tanques russos estão atirando nos blocos nucleares. Estes são tanques equipados com imagens térmicas, então eles sabem no que estão atirando."

Ele observou que a usina Zaporizhzhya tem seis reatores. Apenas um explodiu em Chernobyl – devastando a região em 1986.

"Não deixe a Europa morrer na catástrofe nuclear", disse ele.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, teria buscado uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas após o ataque.