Homem que se diz pastor é preso por crimes de racismo e ódio contra judeus A Polícia Federal (PF) prendeu, nesta quinta-feira (24), Tupirani da Hora Lores, líder da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo, por crimes de racismo e ódio contra judeus.

A investigação começou quando em um culto exibido nas redes sociais em junho de 2020, Tupirani afirmou que os judeus “deveriam ser envergonhados como foram na 2ª Guerra Mundial”.

O líder religioso foi preso em casa, na sede da igreja, no Morro do Pinto, no Santo Cristo, na região central do Rio de Janeiro.

Além dos crimes de racismo e ameaça, Tupirani responderá por incitação e apologia de crime. Caso seja condenado, poderá cumprir pena de até 26 anos de reclusão.

A operação Rófesh, que em hebraico significa liberdade, foi coordenada pelo Grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF. Os mandados foram expedidos pela 8ª Vara Federal Criminal. Ela faz alusão aos limites de liberdade de expressão.



*Foto: Reprodução TV Globo