Biden impõe sanções à Rússia e evangelista diz que orações fazem diferença entre a vida e a morte O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou que as sanções para cortar a Rússia do financiamento ocidental entrarão em vigor, prometendo “ir mais longe” com medidas restritivas se a Rússia continuar o que chamou de “invasão” da Ucrânia.

No início desta semana, o presidente russo, Vladimir Putin, disse que reconheceu a independência de duas regiões pró-Rússia localizadas no leste da Ucrânia, provocando indignação das potências ocidentais. Relatos indicam que Putin ordenou que tropas russas entrassem nas duas regiões separatistas – Donetsk e Luhansk.

Durante um discurso na tarde de terça-feira (22) em resposta a Putin, Biden disse à imprensa que considerava as palavras de Putin uma “razão” para justificar a tomada de “mais território à força”, observando que o presidente russo reivindicou território adicional na Ucrânia.

“Este é o começo de uma invasão russa da Ucrânia”, disse Biden. “Vou começar a impor sanções em resposta muito além das medidas que nós e nossos aliados e parceiros implementamos em 2014.”

Biden chamou as ações de Putin de uma “flagrante violação da lei internacional” que exige uma “resposta firme da comunidade internacional”, especialmente por meio de sanções.

Desde novembro passado, a Rússia começou a colocar tropas em sua fronteira com a Ucrânia e na vizinha Bielorrússia. Especialistas estimam que cerca de 150.000 soldados estejam presentes.

Na semana passada, o líder evangélico Franklin Graham, que já se encontrou com Putin no passado, pediu a seus apoiadores que orassem para que o presidente russo evite a guerra.

“Isso pode soar como um pedido estranho, e eu posso receber alguns comentários negativos, mas precisamos orar para que Deus trabalhe em seu coração para que a guerra – e a perda de milhares de vidas – possa ser evitada a todo custo”, postou Graham no Facebook.

“Que Deus dê sabedoria aos líderes envolvidos nessas conversas e negociações, bem como àqueles que os aconselham. Nossas orações podem fazer a diferença entre a vida e a morte.”