Vice-presidente dos EUA ameaça Rússia com sanções 'sem precedentes' A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, alertou a Rússia de que enfrentará custos financeiros “sem precedentes” se invadir a Ucrânia e previu que tal ataque aproximaria os aliados europeus de Washington.

O alerta foi dado no momento em que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, está supervisionando grandes exercícios militares neste sábado (19), enquanto o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, está indo para a Europa para angariar apoio.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse na Conferência de Munique que Moscou está confrontando a Otan com demandas que sabe que a aliança não pode atender e que não há sinais de uma retirada russa das fronteiras da Ucrânia.

Enquanto isso, os líderes das regiões separatistas do leste da Ucrânia de Donetsk e Luhansk declararam uma mobilização militar completa , medidas que ocorrem em meio a um aumento na violência na região devastada pela guerra que o Ocidente teme que possa ser usado como pretexto para uma invasão da Rússia.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse que a Ucrânia e os EUA não poupariam esforços diplomáticos para proteger a Ucrânia, depois que ele se encontrou com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, na Conferência de Segurança de Munique.

Kuleba voou para a Alemanha enquanto seu país se prepara para um possível ataque militar da Rússia, que reuniu mais de 100.000 soldados perto das fronteiras da Ucrânia. A Rússia nega planos de ataque.

Os Estados Unidos, juntamente com seus aliados, imporão custos econômicos significativos e “sem precedentes” à Rússia se invadirem ainda mais a Ucrânia, disse a vice-presidente Kamala Harris, acrescentando que as fronteiras nacionais não devem ser alteradas pela força.

“Preparamos medidas econômicas que serão rápidas, severas e unidas”, disse Harris. “Teremos como alvo as instituições financeiras e os principais setores da Rússia.”

Os EUA também reforçarão ainda mais o flanco leste da OTAN no caso de uma invasão russa da Ucrânia, disse Harris na Conferência de Segurança de Munique – da qual ela participou pessoalmente.