Número de mortos após temporal em Petrópolis já passa de 100

O trabalho de buscas por pessoas desaparecidas em algumas áreas de deslizamento de encosta em Petrópolis, foi retomado por volta das 05h30 desta quinta-feira (17). Até o fim da noite de ontem, o total de mortos chegava a 104. Além disso, 24 pessoas foram retiradas com vida dos escombros.

Mais de 300 pessoas tiveram que deixar suas casas e estão acolhidas em abrigos ou casas de parentes e amigos.

O Morro da Oficina, no bairro Alto da Serra, foi uma das áreas mais prejudicadas pelo temporal da última terça-feira (15).

O Corpo de Bombeiros atua com mais de 500 militares de diversos quartéis. Além dos equipamentos de resgate e segurança, eles usam apitos para sinalizar riscos de novos deslizamentos.

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou que essa foi a pior chuva da região desde 1932. Outros desastres já ocorreram na serra fluminense. Em 1988, foram 134 mortos em Petrópolis. Em 2011, 918 pessoas morreram e outras dezenas desapareceram na região serrana, principalmente em Nova Friburgo e Teresópolis.

Previsão de mais chuva

Segundo o Instituto Climatempo, até domingo (20), a Região Serrana do Rio de Janeiro poderá ter novos episódios de chuva forte, porém sem alcançar um volume extremo em tão pouco tempo como o que ocorreu em Petrópolis na terça-feira.

Outros deslizamentos de terra são prováveis nos próximos dias, de acordo com o Climatempo, com o completo encharcamento do solo após a chuva extrema desta terça.

Quanto choveu?

A quantidade de chuva que caiu sobre Petrópolis, em apenas 3 ou 4 horas, pode ser considerada como um evento raro, que poucas vezes ocorre.

Em apenas 4 horas, entre 14h45 e 18h45, o INEA registrou 221,4 mm na estação Alto da Serra/Palatinado. O Cemaden registrou 210,0 mm em 3 horas, entre 16h20 e 19h20, na estação São Sebastião/GEO. Estes volumes de chuva foram extremamente elevados e raros para um período de apenas 3h e 4h , superando a média para todo o mês de fevereiro que é de aproximadamente 200 mm. No mesmo período choveu 186,6 mm no posto Dr. Thouzet, 131,2 mm no posto Independência, 128,4 mm no Quitandinha/GEO, 121,4 mm no Bingen/Geo e 120,9 mm, no posto Araruama/Quitandinha.

O que causou a chuva extrema?

 A formação das nuvens que provocaram a chuva excepcional está relacionada com a chegada de uma frente fria ao litoral do estado do Rio de Janeiro e ao ar abafado que já estava espalhado por todo o estado. As nuvens muito carregadas se formaram de maneira bastante localizada sobre Petrópolis. As nuvens não vieram de outro lugar!