Governo do Rio atua em várias frentes de ajuda a Petrópolis O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, acompanha de perto os trabalhos das equipes nos locais onde ocorreram desabamentos e alagamentos causados pela enxurrada que atingiu Petrópolis. Até as 15h08 desta quarta-feira, dia 16/02, 66 mortes haviam sido confirmadas. Vinte e uma pessoas foram resgatadas com vida. Diversas ações acontecem desde a noite de terça-feira, dia 15.



- É uma situação quase que de guerra. Toda a nossa equipe está mobilizada: Corpo de Bombeiros, secretarias e demais órgãos do estado. Atuamos no resgate e salvamento de vítimas, desobstruindo estradas, atendendo pessoas que perderam seus bens, com medicamentos e remoções, entre outras ações – declarou o governador Cláudio Castro, no Morro da Oficina, local onde houve desabamento com muitas vítimas.


O secretário de Estado de Defesa Civil, coronel Leandro Monteiro, falou sobre o trabalho de resgate.

- Há uma grande equipe concentrada no Morro da Oficina, onde acreditamos ter o maior número de vítimas ainda soterradas. Estamos com 400 militares mobilizados e atuando em 44 pontos atingidos pelo temporal. Montamos um hospital de campanha com 10 leitos onde as vítimas recebem o primeiro atendimento - disse Leandro Monteiro.
 
A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras está mobilizada com maquinário na cidade: são 20 caminhões, 20 retroescavadeiras, 10 escavadeiras hidráulicas, 5 caminhões vacoll e 10 carros-pipa.


Caminhões com medicamentos e insumos
Dois caminhões com medicamentos e insumos da Secretaria Estadual de Saúde já estão na cidade. Oito ambulâncias fazem remoção de pacientes e ações de socorro. A Central Estadual de Regulação está empenhada para transferências imediatas. Há doses extras de vacinas antitetânicas, e equipes estão mobilizadas para emissão de certidões de óbitos.

Mais de 180 pessoas que moram em áreas de risco foram acolhidas. As famílias estão em estruturas que funcionam em escolas e recebem suporte de profissionais das áreas da Saúde, Educação, Agentes Comunitários, além da Defesa Civil. Elas estão nas localidades do Centro, São Sebastião, Vila Felipe, Alto Independência, Bingen, Dr. Thouzete e Chácara Flora.

Equipes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos trabalham no cadastramento das famílias desalojadas e desabrigadas. O Núcleo de Assistência ao Cidadão (NAC) viabiliza documentação para a população que perdeu seus bens.

Batalhões da Polícia Militar funcionam como pontos de recolhimento de donativos para as vítimas da chuva em todo o estado. Água mineral e itens de higiene pessoal são necessários neste momento.

A Polícia Civil uniu em uma força-tarefa os setores de perícia, cartório, delegacias da Região Serrana e apoio terrestre e aéreo com dois helicópteros para ajudar no resgate às vítimas e auxiliar a Defesa Civil. Uma estrutura para identificação dos corpos foi montada no Posto Regional de Polícia Técnica Científica de Petrópolis.

A Delegacia de Descoberta de Paradeiros realiza atendimento especializado às famílias que buscam informações de desaparecidos e registros de ocorrência. Os familiares estão sendo acolhidos e atendidos na Sala Lilás do posto. Além disso, uma equipe da Delegacia do Consumidor fiscaliza possível supervalorização de preços em estabelecimentos comerciais da região.
 
Previsão de chuva a qualquer momento

Numa atualização do boletim meteorológico, a Defesa Civil informou que ainda há previsão de chuva fraca a moderada a qualquer momento no município. A Defesa Civil reforça que a cidade segue em Estágio Operacional de Crise e orienta que a população fique atenta aos informes e alertas que podem ser atualizados a qualquer momento. Em caso de emergência as pessoas devem ligar para o 199.

(*Fotos: Divulgação / Governo RJ)