Falso médico e assistente são presos acusados pela morte de paciente durante procedimento estético O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 4ª Promotoria de Justiça Criminal de Teresópolis, em conjunto com a 110ª DP (Teresópolis), obteve, nesta terça-feira (15/02), a prisão de duas pessoas investigadas pelo homicídio de uma mulher durante a realização de um procedimento estético clandestino em Teresópolis/RJ. As investigações apontam que Deiverson Queiroz Baracho, que se apresentava em redes sociais como Deiverson Bioplastia, realizava procedimentos de forma ilegal com a ajuda de Tatiana de Oliveira Pinheiro. As diligências contaram com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).

A prisão ocorre no âmbito de investigação instaurada pela 110ª DP para apurar a prática do crime de homicídio, que teve como vítima Cíntia Ponta da Silva, ocorrido em 25 de janeiro deste ano. Ela foi submetida a um procedimento estético nas nádegas conhecido como bioplastia.

Durante a realização do procedimento, a vítima começou a passar muito mal. De acordo com o requerimento de prisão, em vez de solicitar pronto atendimento médico, a investigada Tatiana só acionou o socorro após cerca de duas horas do quadro clínico da vítima ter se agravado. Ela também mentiu aos profissionais que chegaram ao local para o atendimento, dizendo que a vítima teria feito a ingestão de medicação em excesso, sem informar sobre o procedimento estético antes realizado, impedindo, assim, um atendimento médico eficaz.

Diante dos fatos e do risco de a dupla atrair novos clientes que podem se tornar outras vítimas graves, o MPRJ requereu a prisão temporária dos dois, além de mandados de busca e apreensão contra eles. Os mandados foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Teresópolis.

A promotoria ressaltou que outras vítimas de Deiverson e Tatiana podem procurar o MPRJ através da Ouvidoria/MPRJ.