Católicos fazem vigília contra congresso de grupo satânico Católicos se reuniram, oraram e leram as escrituras do lado de fora de um hotel no Arizona (EUA) que sediou um evento de três dias do Templo Satânico chamado “SatanCon”, que incluiu sessões como “Criar filhos em uma casa satânica” e “Aborto como um direito (religioso)”.

Os manifestantes, em sua maioria católicos, fizeram uma verdadeira vigília do lado de fora do Saguaro Hotel em Scottsdale, local do evento do Templo Satânico, que terminou neste domingo.

"Estamos aqui para informar aos satanistas que não há lugar para o mal no Arizona", disse um manifestante. “E estamos aqui para combater isso. E estamos aqui para dizer que Jesus é o Senhor”.

O bispo católico de Phoenix, Thomas Olmsted, disse em um comunicado que os católicos deveriam “abster-se de participar de qualquer manifestação ou protesto público” contra o evento satânico.

Os fiéis devem, em vez disso, “unir-se na guerra espiritual através da oração, jejum e participação nos sacramentos”, dizia o comunicado. “Estas são as armas espirituais mais eficazes contra a tentativa fútil de Satanás de semear divisão e confusão em nosso meio.”

A SatanCon incluiu sessões sobre “Comida do Diabo”, “Darwin vs. O Senhor das Mentiras”, “Criando Filhos em uma Casa Satânica” e “Clube Satânico Depois da Escola”, entre outros.

Em 2016, o Templo Satânico lançou um After School Satan Club em todo o país para combater organizações estudantis cristãs em escolas públicas.

A criação do grupo veio em resposta ao Christian Good News Club que estava se reunindo em escolas públicas nos Estados Unidos.

Greaves disse ao site  The Christian Post  na época que a presença do clube cristão nas escolas públicas “criou a necessidade de um contrapeso nas opções extracurriculares”.

Moises Esteves, vice-presidente da USA Ministries for Child Evangelism Fellowship, disse ao Christian Post na época que acreditava que o clube de Satanás era “mais um golpe de relações públicas ateu” que “não tem poder de permanência”.

“O 'After-School Satan Club' é simplesmente outro clube ateu em busca de atenção. A escolha do mascote revela que seus líderes simplesmente odeiam a Deus, e estão tentando provocar ou assustar pais e escolas”, disse Esteves. “Como os anteriores, este clube vai fracassar, porque os pais não veem seus filhos como peões para uma 'mistura de ativismo político, crítica religiosa e arte performática' por ateus furiosos”.