Especialista revela como cristãos podem ajudar a combater o antissemitismo Com os incidentes antissemitas aumentando em todo o mundo, há uma grande preocupação em fazer com que os cristãos entendam o problema e saibam como combatê-lo, disse Scott Phillips, diretor executivo da Passages, ao CBN News (Christian Broadcasting Network).

A organização Passages trabalha para "fortalecer a fé" dos estudantes universitários cristãos americanos, trazendo-os em peregrinação à Terra Santa, conectando-os a Israel e preparando-os para "uma vida de liderança centrada em Cristo", diz o grupo em seu site.

Phillips diz que muitos líderes cristãos são “neutros” em relação a Israel ou ao antissemitismo.

“Muitos acham ruim, mas não sabem muito sobre isso. E não estive realmente envolvido nisso ou exposto a isso”, disse Phillips em uma entrevista recente ao CBN News.

Ele disse que a ação tem três partes.

“Número um, é muito fundamental, que é a educação. Não há muita consciência de que está acontecendo ou a história disso. Então, tornando-nos cristãos conscientes do antissemitismo, da história tanto da história de muito tempo atrás quanto da história recente, e apenas entendendo e percebendo que isso acontece ”, disse Phillips.

“Número dois, acho que construir relacionamentos baseados em confiança e valores compartilhados, você sabe, com nossas comunidades judaicas locais, é realmente importante, para construir essas amizades”, disse ele.

“Então, com essa base em vigor, acho que é a defesa, está se levantando, apareça quando essas coisas [anti-***semitas***] acontecerem, apareça para a comunidade judaica”, acrescentou. “Apareça e esteja lá incondicionalmente e apenas diga: 'Estamos com você. Isso é mau, e vamos nos opor a isso.”

Um exemplo, durante o recente incidente de tomada de reféns na Sinagoga Beth Israel na área de Dallas, a equipe de advocacia da Passages reuniu cristãos de diferentes denominações para orar durante o episódio em uma igreja perto da sinagoga.

Felizmente, esse incidente de quase 12 horas terminou com a libertação segura de todos os reféns.

A Passages levou mais de 7.000 estudantes cristãos para Israel no que seu site diz serem “viagens de mudança de vida à Terra Santa”