Justiça desportiva vai apurar denúncia de racismo contra Gabigol O Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) abriu inquérito para apurar denúncia de racismo contra Gabigol, atacante do Flamengo, no último domingo (6), durante o clássico Fla-Flu, pelo Campeonato Carioca. No despacho, publicado na noite desta terça (8), a  presidente do TJD-RJ Renata Bacelar solicita imagens do circuito interno de segurança do Estádio Nilton Santos “para apuração de existência ou não de infração disciplinar desportiva, na forma do artigo 81 do CBJD”. 


A decisão saiu horas depois de o Fluminense ter protocolado pedido ao TJD-TJ solicitando a apuração das imagens veiculadas em mídias sociais, após o Fla-Flu, em que o atacante rubro-negro teria sido xingado por um um torcedor tricolor.

Na última segunda (7) , também pelas redes sociais, o Tricolor reiterou que  "considera intolerável qualquer tipo de preconceito e se orgulha de manter como lema o “Time de Todos”, de respeito ao próximo, independentemente de raça, gênero, credo ou orientação sexual". 
Na súmula da partida, o árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus não registrou xingamentos contra o atacante durante o jogo.

Pelas redes sociais, a deputada estadual Mônica Francisco  - vice-presidente da Comissão de Combate às Discriminações e Preconceitos de Raça, Cor, Etnia, Religião da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) - afirmou ter pedido celeridade na apuração do cano pela Confederação Brasileira e Futebol (CBF) e Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).