Relatório da Universidade Johns Hopkins diz que lockdowns não funcionaram O Washington Times publicou uma história de grande sucesso, em um relatório da altamente respeitada Universidade Johns Hopkins, de que os bloqueios totais têm pouco ou nenhum impacto contra coronavírus.

“Os bloqueios nos EUA e na Europa tiveram pouco ou nenhum impacto na redução de mortes por Covid-19, de acordo com uma nova análise de pesquisadores da Universidade Johns Hopkins. Os bloqueios durante a fase inicial da pandemia em 2020 reduziram a mortalidade por por covid em cerca de 0,2%, disse a ampla revisão de vários estudos científicos. “Não encontramos evidências de que bloqueios, fechamento de escolas, fechamento de fronteiras e limitação de reuniões tenham tido um efeito perceptível na mortalidade provocada pelo vírus”, escreveram os pesquisadores.

O estudo, intitulado “Uma revisão da literatura e meta-análise dos efeitos dos bloqueios na mortalidade por Covid--19”, disse que os pedidos de abrigo no local também foram ineficazes, reduzindo a mortalidade em 2,9%.

O estudo concluiu que os bloqueios “são infundados e devem ser rejeitados como instrumento de política pandêmica”.

“Eles contribuíram para reduzir a atividade econômica, aumentar o desemprego, reduzir a escolaridade, causar agitação política, contribuir para a violência doméstica e minar a democracia liberal”, disse o relatório.

O estudo foi escrito por Jonas Herby, Lars Jonung e Steve H. Hanke, do Johns Hopkins Institute for Applied Economics, Global Health and the Study of Business Enterprise.