Kelly Slater conquista primeira etapa do Circuito Mundial de Surf O ícone do surf Kelly Slater foi coroado rei de Pipeline na manhã de domingo (06) após uma final dramática contra Seth Moniz no famoso recife de Oahu.

Foi demais para o homem de 49 anos – a uma semana de seu aniversário de 50 anos – e ele engasgou às vezes quando foi entrevistado na areia.

O 12 vezes campeão mundial estava comemorando uma vitória em Pipeline 30 anos depois de vencer o evento pela primeira vez em 1992. Foi a oitava vez que ele venceu o Pipeline Pro.

Slater chegou à final após um evento de montanha-russa, onde evitou ser nocauteado antes das quartas de final apenas pegando uma onda com quatro segundos restantes em sua bateria.

Ele seguiu isso no domingo com vitórias sobre os japoneses Kanoa Igarashi e Miguel Pupo antes de enfrentar Moniz na final.

O campeão americano foi intocável na final – e nunca deu uma olhada em Moniz.

Ele ainda conseguiu sua melhor onda de todo o evento no último minuto da final, onde marcou 9,77 para levar sua pontuação total para 18,77.

Moniz também foi grande no minuto final com uma pontuação de 9,43, mas nunca esteve em condições de desafiar Slater.

“O maior de todos os tempos está de volta”, disse um comentarista da WSL TV.

“O conto de fadas começa agora para Kelly Slater.

“Estou sem palavras. Isso é incrível.”

Slater ficou emocionado quando foi entrevistado na areia.

Ele foi carregado na praia nos ombros de outros surfistas e foi cercado por uma enorme multidão de fãs.

Quando a transmissão de TV finalmente o alcançou, Slater ficou sem palavras.

"Eu não sei o que dizer cara", disse ele.

“Eu estava lá fora dizendo a mim mesmo apenas por um momento. Não importa quanta tensão haja. Só respire."

Ele precisava de um momento para se recompor depois que começou a falar sobre o impacto que o surf teve em sua vida.

"Eu comprometi minha vida com isso, você sabe", disse ele.

“Eu apenas saboreio esses momentos e esta é a melhor vitória da minha vida.

“Eu nem sei como explicar esse momento. É tão espiritual para mim.”

O desempenho de Slater no North Shore de Oahu aumentou a crença de que ele poderia realmente ganhar o título mundial este ano.

Polêmica
No entanto, isso foi ainda mais obscurecido por revelações no mês passado que Slater “não tem chance” de entrar na Austrália para os próximos eventos sem ser vacinado, de acordo com o governo federal.

Slater deixou claro que é contra a obrigatoriedade de vacinação e o passaporte da vacina.

Defendendo o número um do mundo do tênis Novak Djokovic, Slater no mês passado declarou que “talvez a Síndrome de Estocolmo agora possa mudar seu nome para síndrome de Melbourne/Austrália” e “tanto ódio de lavagem cerebral no coração das pessoas, independentemente do status da vacina”.

Espera-se que a vacinação de Slater e a dor de cabeça da imigração ocorram antes que a turnê do campeonato masculino da WSL vá para a Austrália, antes que o Bells Beach Pro comece em 10 de abril em Victoria.

Ausência brasileira
Se a final teve o brilho de Slater, teve também a ausência dos atletas do Brasil. O dia começou com as quartas de final, onde Miguel Pupo deixou pelo caminho o peruano Lucca Mesinas e Caio Ibelli foi melhor do que o estreante Samuel Pupo na disputa entre brasileiros.

Nas semifinais Slater não deu oportunidade para Miguel Pupo, e Caio Ibelli caiu diante de Seth Moniz.