Moro recebeu R$ 3,6 milhões de recuperadora judicial de empreiteiras condenadas por ele Sergio Moro como político tem se mostrado um ótimo juiz. Após a tentativa frustrada de tentar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal através do atalho do Ministério da Justiça, o neófito político tropeçou nas próprias pernas. O candidato à presidência da República revelou ter recebido um total de R$ 3,6 milhões – ou R$ 242,5 mil por mês da empresa Alvarez & Marsal. Mas que ficou de fora dos casos em que foi juiz.

A resposta foi uma tentativa de esclarecer questionamentos de seus potenciais adversários (Bolsonaro e Lula) e acabou colocando o ex-juiz em um imbróglio. A dúvida era quanto Moro ganhara durante 11 meses por serviços prestados ao escritório de advocacia americano Alvarez & Marsal, que tem, entre os clientes, a construtora Odebrecht. E não é que ele revelou?

Desde 2014, a Alvarez & Marsal faturou R$ 83,5 milhões, dos quais R$ 65,1 milhões pagos por empresas investigadas na Lava Jato.

Moro cumpriu a quarentena exigida pela lei ao deixar o governo Bolsonaro e tinha a liberdade de se associar a qualquer empresa, como o fez. Mas foi atuar como advogado logo em favor de empresas que puniu como juiz? Claro que os adversários políticos não perdoaram.

O Tribunal de Contas da União agora apura possível 'conflito de interesse' na atuação do ex-juiz da Lava Jato no escritório americano da Alvarez & Marsal que administra a recuperação judicial de empreiteiras condenadas por ele.