Explosão de vulcão em Tonga foi 500 vezes mais potente que a bomba de Hiroshima e há reflexos no RJ Cientistas da NASA estimam que a erupção do vulcão subaquático ocorrida este mês em Tonga foi igual a cerca de 10 megatons de explosivo TNT – mais de 500 vezes mais poderoso que a bomba atômica lançada sobre Hiroshima no final da Segunda Guerra Mundial.

A erupção submarina destruiu a pequena ilha de Hunga Tonga-Hunga Ha'apai –localizada perto da cratera do vulcão. A explosão soou como um trovão a 800 km de distância em Fiji e teria sido ouvida no Alasca. Além disso, a fumaça expelida pelo cone submarino “viajou” pelo Pacífico Sul e, 13 mil quilômetros depois, chegou ao Rio de Janeiro, deixando o céu da cidade com um tom avermelhado pelas manhãs. O fenômeno continuará por mais alguns dias, segundo o Instituto Climatempo.

“Esta pode ser a erupção mais alta desde [a erupção do vulcão indonésio] Krakatau em 1883”, disse Michael Poland, geofísico do Serviço Geológico dos EUA, à  National Public Radio nos EUA.

Fotos de satélite da NASA mostram uma nuvem de cinzas e gás subindo 31 km no ar. As imagens também mostram cinzas, pedra-pomes e sedimentos descolorindo a água ao redor do que resta da ilha Hunga Tonga-Hunga Ha'apai. As imagens iniciais sugerem que não há muito da jovem ilha vulcânica acima da água; ele subiu pela primeira vez acima da água em 2014.

Cinzas expelidas pela erupção e um tsunami relacionado causado pela explosão danificaram outras ilhas do país. Recentemente, um avião de vigilância militar da Nova Zelândia sobrevoou Tonga para avaliar os danos.

Dois navios da Marinha Real da Nova Zelândia também foram para Tonga para oferecer ajuda humanitária. É importante ressaltar que o suprimento de água doce é considerado limitado. Os barcos transportaram 250.000 litros de água e têm uma usina de dessalinização capaz de produzir 70.000 litros de água potável por dia, informa o Ministério da Defesa.