Quatro mil pastores se unem contra a nova lei de terapia de conversão LGBTQ do Canadá Milhares de pastores em toda a América do Norte se reuniram para protestar contra o Bill C-4, uma lei canadense que entrou em vigor em 8 de janeiro depois de ter sido aprovada no Parlamento com pouco debate.

A alegação é que o projeto de lei poderia banir os ensinamentos bíblicos sobre ética sexual e impactar até mesmo as comunicações pessoais sobre o assunto.

Os pregadores estão protestando contra a lei no púlpito, com 4.000 pastores afirmando sua oposição, bem como a disposição de falar contra ela,  informou a Fox News .

John MacArthur (foto), da Grace Community Church, em Los Angeles, está entre os pastores que se manifestaram sobre o assunto. Ele alertou recentemente que tais repressões provavelmente aumentarão, especialmente porque os cristãos se recusam a ceder.

“Em última análise, os dissidentes, aqueles que não cederão, serão aqueles que são fiéis à Bíblia. E é isso que já está levando a leis feitas contra fazer o que somos ordenados a fazer nas Escrituras, que é confrontar esse pecado”, disse ele à Fox News. “E isso só vai aumentar.”

MacArthur  acrescentou: “Acho que atingiu um nível lá no Canadá que ainda não atingiu aqui, mas está chegando. Está chegando rápido.”

O pregador não está sozinho em expressar preocupação. A Coalizão pela Liberdade do Canadá, um grupo jurídico que educa os canadenses sobre a interseção entre fé e governança, organizou um apelo aos pastores para se posicionarem e discutirem essas questões.

Em um artigo  intitulado “Projeto de Lei C-4: Como a Igreja Deve Responder?” a organização ofereceu orientação e tratou diretamente de questões com a lei.

“Este projeto de lei, embora pretenda proteger os indivíduos da coerção e abuso na forma de 'terapia de conversão', criminalizará o cristianismo em nosso país”, dizia parte do comunicado. “A redação deste projeto de lei é suficientemente ampla para permitir o processo criminal de cristãos que falariam a verdade bíblica na vida daqueles que estão presos a pecados sexuais como homossexualidade e transgenerismo”.

A coalizão expressou preocupação de que até mesmo os pais possam ser presos por tentar ajudar seus filhos a escapar do “pecado sexual por meio do arrependimento e fé no Evangelho de Jesus Cristo”. A organização pediu a todas as igrejas no Canadá que se unissem e defendessem a verdade bíblica.

A declaração  pediu especificamente  aos líderes da igreja que “preguem publicamente um sermão que proclame especificamente a verdade bíblica de que a homossexualidade e o transgenerismo são pecados graves condenados pela lei de Deus que excluem um pecador da salvação sem arrependimento”.
Milhares de pastores na América do Norte responderam a este chamado e estão oferecendo apoio à iniciativa.