Perseguição aos cristãos é a maior em 29 anos de publicação da Lista Mundial de Perseguição A Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2022 da organização Portas Abertas acaba de ser publicada e os dados revelam que a vida dos cristãos continua cada vez mais difícil. Atualmente, mais de 360 milhões de irmãos e irmãs estão sujeitos à pressão e violência ao redor do mundo. Isso quer dizer que um em cada sete cristãos enfrenta hostilidade por causa da fé em Jesus.  

Afeganistão é o novo primeiro colocado
Após 20 anos de liderança da Coreia do Norte, o Afeganistão tornou-se o país mais perigoso para os cristãos. Isso não quer dizer que a hostilidade contra os seguidores de Jesus caiu na Coreia do Norte, pelo contrário, cresceu. Porém, a situação dos cristãos afegãos piorou com a tomada do território pelo Talibã, em agosto de 2021.


A ascensão do grupo extremista encorajou outros jihadistas ao redor do mundo, principalmente em países da Ásia como Paquistão e Indonésia, e na África em nações como Somália, Nigéria e República Democrática do Congo. Está mais claro que os cristãos não podem contar com a proteção dos governos locais.

Cuba entrou para o ranking
Cuba e Níger são os dois novos países no ranking atual. Cuba está na lista devido ao aumento das medidas restritivas às igrejas que se posicionam contra a ideologia e ações do governo comunista. Durante a pandemia da Covid-19, as autoridades aproveitaram para impedir as atividades cristãs tanto na comunidade como na igreja. Os líderes cristãos foram monitorados, presos, tiveram propriedades confiscadas e foram extorquidos. 


O Níger entrou na lista como consequência do aumento da pressão sobre os cristãos locais. Como o islamismo é considerado uma herança étnica, aqueles que decidem deixar Maomé para seguir a Jesus enfrentam grande oposição dos familiares e da comunidade. Além disso, os irmãos na fé são alvos constantes de ataques de grupos extremistas islâmicos, como Boko Haram.