Robinho é condenado a 9 anos de prisão por estupro Robinho, ex-jogador do Santos, da Seleção Brasileira, do Real Madrid, do Milan e do Manchester City, foi condenado a nove anos de prisão por estupro.
O Tribunal de Cassação de Roma rejeitou um recurso do ex-jogador brasileiro e Ricardo Falco – amigo de Robinho – relacionado ao incidente, ocorrido em 2013.

Robinho foi condenado por estupro em 2017 com uma sentença de nove anos de prisão proferida pelos tribunais, mas seu processo de apelação nos tribunais italianos estava em andamento.

O ex-jogador rejeitou continuamente as alegações de que ele participou de um estupro coletivo de uma albanesa, de 22 anos, na boate Sio Cafe, em Milão, em janeiro de 2013.

A última decisão do tribunal em Roma é uma sentença final, sem espaço para mais recursos, a ser cumprida imediatamente.

Com a condenação, a justiça italiana pode pedir a extradição de Robinho e Falco, embora a Constituição brasileira vete a extradição de brasileiros.

Devido a essa situação, a Itália poderá solicitar que os dois cumpram suas penas em uma prisão brasileira.

A Itália deve agora solicitar a transferência da execução da pena para a justiça brasileira e aguardar a homologação da sentença pelo Superior Tribunal de Justiça.

Outros quatro brasileiros foram denunciados por terem participado do ato, mas como já haviam saído da Itália no decorrer das investigações, não foram notificados da conclusão das investigações e, portanto, não foram processados ​​- seus processos foram suspensos, mas podem ser reaberto.

Em outubro de 2020, o UOL informou que a sentença foi mantida pelo Tribunal de Justiça italiano depois que o juiz negou provimento a um recurso da defesa que tentava desqualificar a vítima por conta de fotos dela bebendo álcool na noite do incidente.

Na ocasião, a Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do Brasil, Damares Alves, disse aos repórteres: “Prisão imediata, não tenho mais o que dizer.
“Ainda há um apelo, mas... O que mais você quer? Prisão. Nenhum estuprador pode ser aplaudido”.

Robinho, agora com 37 anos, jogou pelo Milan entre 2010-2015 e continuou sua carreira de jogador até 2020 – três anos depois de ter sido inicialmente condenado, aguardando o processo de apelação subsequente que já foi concluído.

O brasileiro também jogou pelo clube chinês Guangzhou Evergrande, em 2015, antes de passar dois anos no Atlético Mineiro, que representava no momento da sentença inicial.

Ele passaria quatro anos no futebol turco em passagens pelo Sivasspor e Istanbul Basaksehir antes de retornar ao Brasil em 2020 para assinar pelo Santos – onde começou sua carreira.

Robinho não jogou pelo clube brasileiro durante sua segunda passagem em meio ao processo de apelação em andamento e posteriormente se aposentou do futebol.