Operação demole igreja e mais seis prédios ilegais em área de milícia no Rio A prefeitura do Rio de Janeiro fez hoje (3) uma operação para demolir sete edificações erguidas de forma irregular na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade.

A área é controlada por uma milícia, grupo armado que pratica extorsões na região e explora o mercado imobiliário de forma ilegal, com ocupações irregulares e construções sem licença.

Os alvos da operação desta segunda-feira, que contou com o apoio da Polícia Militar e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), foram três lava-jatos, uma oficina, uma igreja, um quiosque, um restaurante, um estacionamento e uma estrutura em fase de fundação na Estrada do Itanhangá, junto ao número 621.

"As construções pertencem ao miliciano Emerson Portela Claudino, vulgo 'Missinho', preso em operação realizada pela Polícia Federal no dia 21/12, em Rio das Pedras, também na zona Oeste. O GAECO/FT-OIS aponta que a construção irregular de imóveis é uma das maiores fontes de renda da milícia que atua na região", disse o MPRJ em nota.

Segundo o MPRJ, as construções foram erguidas por um suspeito de integrar a milícia, preso há duas semanas pela Polícia Federal.

Esta é a quarta operação do Ministério Público, em pouco mais de 30 dias, em parceria com a prefeitura, para demolir construções, conter a expansão imobiliária e ocupação irregular do solo em Rio das Pedras e na Muzema.

“A Prefeitura do Rio vai continuar fazendo ações de combate às construções irregulares, principalmente em áreas sob influência do crime organizado. O objetivo é preservar vidas, trazer ordem para a cidade e, naquilo que cabe ao município, asfixiar o poder financeiro das milícias. Por isso essa parceria com o Ministério Público e com a Polícia Militar é tão importante”, destaca o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Força-Tarefa

A Força-Tarefa para enfrentamento à ocupação irregular do solo urbano foi criada em 19 de outubro, por ato do procurador geral de Justiça, para auxiliar promotores de Justiça no combate à ocupação irregular do solo no Município do Rio de Janeiro e aos ilícitos relacionados nas áreas criminal, meio ambiente, entre outras, em especial, nas áreas de planejamento que abrangem bairros das zonas Oeste e Norte da cidade.

No dia 22/12, foi realizada operação integrada para demolir oito imóveis na Muzema. No dia 10/12, outra operação para demolir um prédio comercial que estava sendo construído pela milícia de Rio das Pedras em área pública, cujas lojas seriam alugadas pela organização criminosa para comerciantes locais. No dia 26/11, o GAECO/FT-OIS demoliu outro prédio da milícia de Rio das Pedras, que também estava sendo construído em área irregular.

Em abril de 2019, dois prédios irregulares desabaram na comunidade, matando 24 pessoas.