Pastora punida por acolher sem-teto durante lockdown comemora vitória na Justiça Uma pastora está comemorando uma vitória na Justiça depois de ser severamente punido por realizar uma reunião ao ar livre na igreja para os sem-teto no Reino Unido. 

A pastora Chizumie Dyer foi multada em $ 21.000 (equivalente a cerca de R$ 160 mil) pela polícia em fevereiro de 2021 por compartilhar o evangelho em alguns dos bairros mais difíceis de Nottingham durante o lockdown da Covid-19. Os advogados de defesa relataram que no início deste mês, o Tribunal de Magistrados de Nottingham decidiu a favor dela e ordenou que o governo pagasse seus honorários advocatícios.

"Sinto-me aliviada. Estou emocionada", disse Dyer à BBC News. "Ser expulsa do tribunal é uma grande sensação de alívio. Estivemos na brecha pelos mais vulneráveis ​​quando outros não o fariam ou não poderiam. Tivemos pessoas que precisavam urgentemente de nosso apoio e alguns que disseram que os tínhamos impedido de cometer suicídio. "

Quase 30 moradores de rua participaram de seu culto ao ar livre em fevereiro, onde cantaram, adoraram e desfrutaram de uma refeição quente juntos, segundo a igreja.

Mesmo que Dyer seguisse as orientações adequadas enquanto eles se reuniam, o oficial comandante relatou a assembleia a seus superiores, e eles a rotularam como uma "reunião ilegal".

"Quando eles realmente nos informaram e disseram 'tudo bem, você pode continuar, mas você tem que ir ao estacionamento de uma igreja' e então fomos para um estacionamento da igreja... eles nos perseguiram novamente", explicou Dyer. “Estamos chegando aos sem-tetos, viciados em drogas e ser tratados como criminosos por isso foi absolutamente devastador”.

"Fiquei desapontada com a polícia", acrescentou Dyer. “Fiquei muito desapontada por saber que éramos muito abertos e trabalharíamos com a polícia porque o nosso objetivo nunca foi ir contra as regras.”

No final das contas, Dyer tem esperança de que seu caso demonstre o importante papel que o ministério de rua tem entre os desfavorecidos.

"Espero que minha história possa mostrar às pessoas o papel vital que o ministério cristão de rua desempenha em nosso país", observou ela.