Um animal é vítima de maus tratos a cada dois dias no Rio de Janeiro O Instituto de Segurança Pública (ISP) fez um levantamento sobre maus tratos a animais no estado do Rio de Janeiro no ano de 2019 e 2020. O estudo mostra que, a cada dois dias, um animal foi vítima de um crime. Em 2020, foram feitos 193[.2] registros nas delegacias do estado, 3% a menos que em 2019. Os cachorros foram mencionados 102 vezes nos registros de ocorrência e ocupam o primeiro lugar no ranking dos bichinhos que mais sofreram maus tratos, seguidos por gatos e aves, com 35 e 29 citações, respectivamente. Além desses animais, outras 12 espécies como macaco, cobra e tartaruga também apareceram como vítimas.

A maior parte dos crimes ocorreu dentro de uma residência (63%) e os tutores foram os autores em 58% dos casos. Em 12% das ocasiões, os vizinhos foram os responsáveis pelas agressões. Felizmente, dentre os registros finalizados, quase 70% dos casos resultaram em resgate dos animais.

- A nossa equipe leu cerca de 400 registros de ocorrência para fazer o levantamento porque acreditamos que é necessário falar sobre esse tema. Muita gente ainda não sabe ou não entende que a prática de abuso contra animais é um crime e o autor pode ter que cumprir detenção de três meses a um ano, além de pagar multa. No caso de cães e gatos, a lei 9.605/98 prevê uma pena ainda maior, podendo chegar a cinco anos de prisão - explica a diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz

RJPET

O estado do Rio de Janeiro conta com a RJPET, que é uma subsecretaria da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento. É a primeira vez que o Governo do Estado tem uma estrutura direcionada para os pets, que visa, além da realização de ações de incentivo à adoção, promover medidas de conscientização, dar suporte no controle, prevenção e erradicação de doenças, apoiar programas e projetos de defesa e bem-estar de animais.

Como denunciar

Para denunciar maus tratos aos animais, qualquer pessoa pode entrar em contato com a Central 190 da Polícia Militar ou com o Comando de Polícia Ambiental (CPAm) pelo telefone (21) 2334-7634. A denúncia também pode ser feita em qualquer delegacia de Polícia Civil do estado e ainda pela Linha Verde, do Disque-Denúncia (0300-253-1177).