Demitido após 13 anos na Globo, narrador diz ter sido humilhado Demitido da Globo após 13 anos, o narrador Linhares Júnior diz que seu desligamento ocorreu após fazer uma denúncia de assédio moral. O profissional acusou o gerente de futebol da emissora, George Guilherme, de tê-lo chamado de “ultrapassado”.

Linhares chegou ao SporTV em 2008 e foi demitido em novembro de 2021, 20 dias depois de reclamar do assédio. Ele levou o caso para a ouvidoria da Globo e acabou sendo punido, segundo o site Notícias da TV.

“Após a saída dos antigos nomes que estavam no SporTV, como o Raul Costa Jr., e também com a chegada de outros gestores, comecei a notar que perdi espaço. E comecei a pedir para o George mais oportunidades em partidas da Série A, em eventos importantes”, disse o narrador.

Na empresa, há três escalas de narradores. Galvão Bueno, Cleber Machado, Luís Roberto, Milton Leite e Luiz Carlos Jr. estão na ‘classe A. Linhares fazia parte da ‘classe B’. Ele percebeu que estava com menos espaço que alguns colegas.

Com a pandemia, Linhares se afastou do trabalho. Com o retorno dos eventos, pouco foi visto do trabalho dele na tela. Por isso solicitou uma reunião com o diretor em outubro. O encontro aconteceu em SP e lá teria ocorrido o assédio moral.

“Eu me coloquei à disposição para ir ao Rio de Janeiro, onde se tem mais estúdios para transmissão, e ouvi que era um narrador com um estilo antigo e ultrapassado. Me senti humilhado. Fiz a denúncia na ouvidoria da Globo e, 20 dias depois, fui chamado para uma reunião. Falei com um amigo: ‘Ou irão me dar uma bronca ou vão me demitir’. Me demitiram”, contou.

Linhares cogita processar a Globo e o diretor por assédio moral. “Ainda vou analisar o que fazer. Mas já conversei sobre algumas possibilidades”, concluiu.

Posicionamento da Globo
“O desligamento do narrador foi uma decisão exclusivamente de gestão, prevista desde julho. Sobre as perguntas a respeito de compliance, a Globo não comenta assuntos da ouvidoria, mas reafirma seu total compromisso com a apuração criteriosa de todo relato de assédio, moral ou sexual, assim que a empresa toma conhecimento.

A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes e incentiva que qualquer abuso seja denunciado. Neste sentido, mantém um canal aberto para denúncias de violação às regras do Código de Ética do Grupo Globo”.