Polícia Civil investiga acidente que deixou quatro pessoas gravemente feridas no mar de Ilha Grande

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga de que foi a responsabilidade pelo acidente envolvendo duas embarcações, que deixou, pelo menos, quatro pessoas gravemente feridas, na Costa Verde Fluminense, na madrugada deste domingo (19).

Juntamente com a Capitania dos Portos, a Polícia Civil apura o acidente envolvendo as lanchas da Prefeitura de Angra dos Reis (RJ) e um táxi boat. A colisão aconteceu na Ilha Grande.

De acordo com testemunhas, a Prefeitura fazia a fiscalização de uma suposta festa que acontecia irregularmente, na Praia do Abraãozinho. Ainda de acordo com os relatos, a lancha estava com o giroflex e todas as demais luzes apagadas, só acendendo quando se aproximava das demais embarcações.

O dono do táxi boat, Marlon da Silva, afirma que a irregularidade provocou o acidente. “Foi na hora que a minha embarcação veio, eles apagaram a luz, e foram de encontro a minha embarcação. O meu marinheiro não conseguiu avistar porque estava tudo escuro e era de noite. Você tem que trabalhar com as luzes ligadas e aconteceu a colisão. A parte que foi atingida da lancha é a parte que ele deveria ter desviado. A preferência é a minha então eles estavam todos apagados e acabou acontecendo esse acidente, que quase que mata a gente”, contou. 

Em nota, a Prefeitura de Angra dos Reis contestou a versão dada pelo dono do táxi boat e também das testemunhas. Segundo o órgão, no momento da colisão, a lancha com os turistas estava em alta velocidade e atingiu violentamente a embarcação.

A Prefeitura também informou que, durante a fiscalização, estava com todas as luzes de navegação ligadas, inclusive o giroflex.