Errado não tá! Bispo diz a crianças que Papai Noel não existe e é repreendido por diocese Uma diocese católica romana na Europa pediu desculpas depois que seu bispo disse a um grupo de crianças, algumas semanas antes do Natal, que Papai Noel não existe.

A Diocese de Noto, com sede na Sicília, divulgou um comunicado nas redes sociais pedindo desculpas pelas palavras de Dom Antonio Stagliano.

Em um recente festival religioso chamado Festa de São Nicolau, Stagliano disse a um grupo de crianças que o Papai Noel não existia e que sua roupa vermelha foi criada para ajudar no mercado de bebidas da Coca-Cola.

“Em primeiro lugar, em nome do bispo, expresso minha tristeza por esta declaração, que gerou decepção entre os mais pequenos, e quero deixar claro que as intenções de Monsenhor Stagliano eram bem diferentes”, disse o porta-voz diocesano Rev. Alessandro Paolino em um postagem compartilhada na página da diocese no Facebook.

Ele afirmou que a diocese “certamente não deve destruir a imaginação das crianças, mas tirar dela bons exemplos que são positivos para a vida”.

“O Papai Noel é uma imagem eficaz para transmitir a importância de dar, generosidade, compartilhar. Mas quando essa imagem perde o sentido, você vê o Papai Noel, também conhecido como consumismo, o desejo de possuir, comprar, comprar e comprar novamente, então você tem que reavaliar dando um novo significado ”, disse Paolino.

O bispo pretendia enfatizar às crianças que elas deveriam se concentrar no verdadeiro significado do Natal - o nascimento de Jesus Cristo - e destacar a história de São Nicolau, um bispo que viveu durante o final dos anos 200 e início dos anos 300 e deu presentes aos pobres. 

Em nota divulgada pela diocese, Stagliano declarou que “não disse aos meninos que o Papai Noel não existe, mas falou sobre a necessidade de distinguir o que é real do que não é”.

“Queria explicar que uma cultura de consumo como a dos presentes é diferente de uma cultura da dádiva que está na base da verdadeira mensagem do Natal”, disse. “O menino Jesus nasceu para se entregar a toda a humanidade.”