Duque de Caxias vai realizar o primeiro Transplante de Córnea

O município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, inicia o transplante de um dos órgãos mais procurados no Brasil segundo a ABTO – Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. Inaugurado há 1 ano e 8 meses, o Hospital do Olho Julio Cândido de Brito, em Caxias já ultrapassou os 750 mil atendimentos e agora passa a ser habilitado em transplantes de córnea.



A primeira cirurgia, inédita no município, acontecerá nesta sexta (30) às 14h. A paciente Elisabeth de Jesus Vieira Luiz, 30 anos, é caxiense e mora no bairro Saracuruna. Ela será a primeira pessoa a receber o benefício. Desde os 17 anos de idade, a paciente sofre de ceratocone – condição em que o tecido transparente na superfície anterior do olho se curva para fora.



O hospital é um dos mais modernos do país em oftalmologia e conta com aparelhos importados de última geração. Além de pacientes de Caxias, atende também moradores de outras cidades da Baixada Fluminense, do município do Rio, e até de fora do estado.



A unidade, nesse primeiro período, tem capacidade para realizar 20 cirurgias mensais, sendo adaptável de acordo com a demanda. Foi nesse hospital que, em maio, o locutor Gustavo de Moraes foi operado após ser baleado em um assalto. Amigos e familiares do locutor agradeceram ao prefeito da cidade, Whashington Reis, e à diretoria do hospital pelo atendimento de primeiro mundo.



Segundo o prefeito Washington Reis, o fato de haver uma unidade pública de saúde especializada em oftalmologia, com atendimento gratuito e de excelência, é uma alegria: “Desde que assumi a prefeitura o projeto de construção do Hospital do Olho foi uma das nossas prioridades. Trabalhamos muito e com o apoio dos governos Federal e Estadual, em pouco menos de dois anos de funcionamento, os números que vão além das nossas expectativas: mais de 750 mil pessoas atendidas. Hoje o Hospital do Olho é reconhecido pelos serviços prestados não só para o cidadão de Caxias, mas de todo o Brasil”, destaca Washington Reis.



No ano de 2018, os transplantes de córnea realizados no estado do Rio de Janeiro tiveram um crescimento nos dois primeiros meses, com 42% a mais de procedimentos, comparando aos dois primeiros meses de 2017.



Em 2019, o Governo do Estado recebeu a doação de 10 milhões de reais da Alerj. Os recursos deverão ser aplicados no setor de transplantes de rim, fígado, córnea e coração, com o objetivo de reduzir a fila de espera dos pacientes fluminenses. O Brasil tem 32.716 pacientes cadastrados em lista de espera para um transplante dos seguintes órgãos: rim, fígado, coração, pulmão, pâncreas e córnea. O segundo órgão com maior demanda é a córnea, com 8.574 pacientes na lista de espera.